Show simple item record

dc.contributor.advisorMazzeo, Antonio Carlos [UNESP]
dc.contributor.authorBatista, Erika [UNESP]
dc.date.accessioned2014-06-11T19:31:06Z
dc.date.available2014-06-11T19:31:06Z
dc.date.issued2013-03-11
dc.identifier.citationBATISTA, Erika. A insustentável teoria da sustentabilidade: Ideologia e reificação no discurso empresarial da responsabilidade social no Brasil. 2013. . Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, 2013.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/101014
dc.description.abstractDadas as condições de exploração e esgotamento dos recursos naturais e sociais criadas pelo modo de sociabilidade capitalista contemporâneo, uma nova tentativa de reestruturação produtiva avança na direção de novas fontes de reprodução da acumulação do capital configurando um novo modelo organizacional: o da sustentabilidade. Articulado sobre três pilares – o desenvolvimento sustentável, a governança corporativa e a responsabilidade social empresarial – esta teoria organizacional está presente de diferentes formas no cotidiano das práticas sociais, atuando diretamente na formação da subjetividade social para além dos espaços organizacionais de trabalho. Tal modelo julga oferecer uma alternativa de superação às condições assinaladas por meio de concepções que qualificam o capitalismo como “verde”, “moralizado” e “responsável”, ocultando os fundamentos objetivos destas condições por uma determinada visão de mundo que se encontra limitada pelas perspectivas que compõem o horizonte da classe burguesa. O objetivo geral deste trabalho é decompor a teoria da sustentabilidade em seus pilares constituintes a fim de caracterizá-la como uma das formas de ideologia capitalista, enquanto o objetivo particular compreende aprofundar o estudo do discurso da responsabilidade social empresarial no Brasil como um novo padrão de intervenção social. Os resultados que serão apresentados parecem comprovar que tal padrão se origina de determinada fração da classe burguesa, denominada de burguesia empresarial “engajada” e representada, sobretudo, pelo grupo que fundou o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social no Brasil, além de indicar que esta entidade permanece atrelada à teia de articulações global que visa consolidar esta ideologia como um novo movimento de reestruturação...pt
dc.description.abstractDue the conditions of exploitation and depletion of natural and social resources created by the contemporary capitalist mode of sociability, a new attempt to productive restructuring moves towards new sources of capital accumulation reproduction setting up a new organizational model: the sustainability. Articulated on three pillars - sustainable development, corporate governance and corporate social responsibility - this organizational theory is present in different forms in everyday social practices, working directly in the formation of social subjective beyond the organizational labor spaces. This model considers offering an overcome alternative to the conditions indicated by conceptions that qualify capitalism as green, moralized and responsible, hiding the main objectives of these conditions by a particular worldview that is limited by the perspectives that make up the horizon of the bourgeois class. The overall objective of this study is to decompose the theory of sustainability into their constituent pillars in order to characterize it as a form of capitalist ideology, while the particular purpose includes further study the discourse of corporate social responsibility in Brazil as a new pattern of social intervention. The results presented here seem to confirm that this arises from certain fraction of the bourgeois class, called engaged entrepreneurial bourgeoisie and represented mainly by the group that founded the “Ethos Institute of Business and Social Responsibility” (Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Socia) in Brazil, besides indicating that this entity remains tied to the global web of joints which aims to consolidate this ideology as a new movement of productive restructuring of capital. The object of this research focuses on organizational projects of corporate social responsibility developed... (Complete abstract click electronic access below)en
dc.format.extent257 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectSocial responsibilitypt
dc.subjectResponsabilidade social da empresa - Brasilpt
dc.subjectSustentabilidadept
dc.subjectAlienação (Psicologia social)pt
dc.titleA insustentável teoria da sustentabilidade: Ideologia e reificação no discurso empresarial da responsabilidade social no Brasilpt
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramCiências Sociais - FFCpt
unesp.knowledgeAreaCiências sociaispt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Filosofia e Ciências, Maríliapt
dc.identifier.aleph000720521
dc.identifier.filebatista_e_dr_mar.pdf
dc.identifier.capes33004110042P8
dc.identifier.lattes0057328168545927
unesp.author.lattes0057328168545927
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record