Show simple item record

dc.contributor.authorWhitaker, Melina Evangelista
dc.contributor.authorDutka, Jeniffer de Cássia Rillo
dc.contributor.authorLauris, Rita de Cássia Moura Carvalho
dc.contributor.authorPegoraro-Krook, Maria Inês
dc.contributor.authorMarino, Viviane Cristina de Castro [UNESP]
dc.date.accessioned2015-02-02T12:39:27Z
dc.date.available2015-02-02T12:39:27Z
dc.date.issued2014-08-01
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/1982-021620143913
dc.identifier.citationRevista CEFAC. CEFAC Saúde e Educação, v. 16, n. 4, p. 1222-1230, 2014.
dc.identifier.issn1516-1846
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/114339
dc.description.abstractPurpose to investigate whether lisp, when identified, differs between voiced and unvoiced alveolar fricatives produced by children with cleft palate. Methoda prospective study in which sentences comprising the consonants [s] and [z] produced by 32 children with cleft palate (mean age, 8 years, 8 months) were selected and after auditory judged. All children presented altered inter-relationship arches as evaluated by three orthodontists (inter-judge agreement almost perfect kappa = 0.81), performing analysis of dental casts. Three Speech-Language-Pathologists judged perceptually audio recorded productions. The inter-judges agreement ranged between 56% and 78% and between 59% and 93% for the phrases consisting of [s] and [z], respectively. Resultthe lisp was identified in 69% of children, particularly, in 72% and 50% [s] and [z] sounds, respectively. There were significant differences between judgments for the fricatives [s] and [z], with higher prevalence of lisping in [s]. Conclusiondentofacial deformities may favor the occurrence of lisp in population with cleft palate. The increased occurrence of lisp in [s] compared to [z], based on auditory perceptual identification, can be justified by acoustic and / or articulatory reasons. It is suggested that lisp is dependent of the phonetic-phonological context of the sentence and therefore must be considered for clinical and research purposes.en
dc.description.abstractObjetivo investigar se o ceceio, quando identificado, difere entre as fricativas alveolares não vozeadas e vozeadas produzidas por crianças com fissura labiopalatina operada. Métodos estudo prospectivo, em que frases constituídas pelas consoantes [s] e [z] produzidas por 32 crianças com fissura labiopalatina operada (idade média, 8 anos, 8 meses) foram selecionadas de um banco de dados e posteriormente julgadas auditivamente. Todas as crianças apresentavam relação inter-arcos alteradas, conforme avaliação ortodôntica realizada por três ortodontistas (concordância inter-juiz quase perfeita, kappa= 0.81), a partir da análise de modelos de gesso. Três fonoaudiólogas julgaram auditivamente as produções áudio gravadas. A concordância inter-juízes variou entre 56% e 78% e entre 59% e 93% para as frases constituídas de [s] e [z], respectivamente. Resultados o ceceio foi identificado em 69% das crianças e, particularmente, em 72% e 50% das produções envolvendo [s] e [z], respectivamente. Houve diferença significante entre os julgamentos para as fricativas [s] e [z], com maior ocorrência de ceceio em [s]. Conclusões deformidades dentofaciais podem favorecer a ocorrência do ceceio na população com fissura labiopalatina. A maior ocorrência do ceceio em [s] em comparação à [z], a partir da identificação auditiva, pode ser justificado por razões acústicas e/ou articulatórias. Sugere-se que o ceceio é dependente do contexto fonético-fonológico da frase devendo o mesmo ser considerado para fins clínicos e de pesquisa.pt
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.format.extent1222-1230
dc.language.isopor
dc.publisherCEFAC Saúde e Educação
dc.relation.ispartofRevista CEFAC
dc.sourceSciELO
dc.subjectFalapt
dc.subjectFissura Palatinapt
dc.subjectMá Oclusãopt
dc.subjectSpeechen
dc.subjectCleft Palateen
dc.subjectMalocclusionen
dc.titleOcorrência de ceceio em fricativas vozeadas e não vozeadas em crianças com fissura labiopalatina operadapt
dc.title.alternativeOccurrence of lisping in voiced and unvoiced fricatives in children with operated cleft lip and palateen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade de São Paulo (USP)
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade de São Paulo Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais
dc.description.affiliationUniversidade de São Paulo Faculdade de Odontologia de Bauru
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências
dc.identifier.doi10.1590/1982-021620143913
dc.identifier.scieloS1516-18462014000401222
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Filosofia e Ciências, Maríliapt
dc.identifier.fileS1516-18462014000401222.pdf
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record