Show simple item record

dc.contributor.authorGimenez, Juliana Iassia [UNESP]
dc.contributor.authorFerreira, Gisela [UNESP]
dc.contributor.authorCavariani, Cláudio [UNESP]
dc.date.accessioned2015-02-02T12:39:32Z
dc.date.available2015-02-02T12:39:32Z
dc.date.issued2014-09-01
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/2317-1545v36n31004
dc.identifier.citationJournal of Seed Science. ABRATES - Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes, v. 36, n. 3, p. 357-361, 2014.
dc.identifier.issn2317-1537
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/114441
dc.description.abstractThe study aimed to adapt the tetrazolium test to assess the viability of atemoya (Annona cherimola Mill. x A. squamosa L.) seeds. The experimental design was completely randomized in 3 x 3 factorial arrangement (tetrazolium salt concentrations x exposure times), totaling 9 treatments with four replicates of 25 seeds. After immersion in water for 24 hours, the seeds were longitudinally sectioned and exposed to three tetrazolium salt concentrations (0.05%, 0.5% and 1%) for three periods of time (2, 4 and 6 hours). The evaluations were performed according to pre-established criteria of tissue integrity and staining. The germination test was performed, using the GA 4+7 + N-(fenilmetil)-aminopurina regulators at concentrations of 0 and 300 mg.L-1, because dormancy is observed in species of the family Annonaceae. Tetrazolium salt at 1% yielded the highest percentage of viable seeds within the shortest time, while longer exposure times were necessary with concentrations of 0.05% and 0.5%. It can be concluded that the concentration of 1% of tetrazolium salt for two hours of exposure is more appropriate for assessing the viability of atemoya seeds.en
dc.description.abstractO trabalho teve por objetivo adequar o teste de tetrazólio para a avaliação da viabilidade de sementes de atemoia (Annona cherimola Mill. x A. squamosa L.). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado em esquema fatorial 3 x 3 (concentrações do sal de tetrazólio x períodos de exposição), totalizando 9 tratamentos com quatro repetições de 25 sementes. Após a imersão em água por 24 horas, as sementes foram seccionadas longitudinalmente e expostas a três concentrações do sal de tetrazólio (0,05%, 0,5% e 1%) por três períodos (2, 4, e 6 horas). As avaliações foram realizadas de acordo com critérios pré-estabelecidos de coloração e integridade dos tecidos. Foi também conduzido o teste de germinação, empregando-se as concentrações de 0 e 300 mg.L-1 dos reguladores GA4+7 + N-(fenilmetil)-aminopurina, devido à dormência existente em espécies da família Annonaceae. Com a concentração de 1% do sal de tetrazólio foi possível vizualizar a maior porcentagem de sementes viáveis no menor tempo, ao passo que com as concentrações de 0,05% e 0,5% houve a necessidade de se utilizar os maiores tempos de exposição. Conclui-se que para sementes de atemoia, a concentração de 1% por duas horas de exposição ao sal de tetrazólio é a mais adequada para a avaliação da viabilidade.pt
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.format.extent357-361
dc.language.isoeng
dc.publisherABRATES - Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes
dc.relation.ispartofJournal of Seed Science
dc.sourceSciELO
dc.subjectAnnonaceaept
dc.subjectcloreto de 2,3,5 trifeniltetrazóliopt
dc.subjectteste de germinaçãopt
dc.subjectAnnonaceaeen
dc.subject2,3,5 triphenyltetrazolium chlorideen
dc.subjectgermination testen
dc.titleTetrazolium test for assessment of seed viability of atemoya (Annona cherimola Mill. x A. squamosa L.)en
dc.title.alternativeTeste de tetrazólio para a avaliação da viabilidade de sementes de atemoia (Annona cherimola Mill. x A. squamosa L.)pt
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUNESP Departamento de Botânica
dc.description.affiliationUNESP Instituto de Biociências Departamento de Botânica
dc.description.affiliationUNESP Departamento de Produção e Melhoramento Vegetal
dc.description.affiliationUnespUNESP Departamento de Botânica
dc.description.affiliationUnespUNESP Instituto de Biociências Departamento de Botânica
dc.description.affiliationUnespUNESP Departamento de Produção e Melhoramento Vegetal
dc.identifier.doi10.1590/2317-1545v36n31004
dc.identifier.scieloS2317-15372014000300012
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Biociências, Botucatupt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências Agronômicas, Botucatupt
dc.identifier.fileS2317-15372014000300012.pdf
dc.identifier.lattes9804707674172774
unesp.author.lattes9804707674172774
dc.relation.ispartofsjr0,367
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record