Show simple item record

dc.contributor.advisorDuarte, Newton [UNESP]
dc.contributor.authorSaccomani, Maria Cláudia da Silva [UNESP]
dc.date.accessioned2015-03-03T11:52:27Z
dc.date.available2015-03-03T11:52:27Z
dc.date.issued2014-08-29
dc.identifier.citationSACCOMANI, Maria Cláudia da Silva. A criatividade na arte e na educação escolar: uma contribuição à pedagogia histórico-crítica à luz de Georg Lukács e Lev Vigotski. 2014. 186 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2014.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/115679
dc.description.abstractEste trabalho apresenta um estudo sobre o desenvolvimento histórico-social da criatividade. Nossa problemática de pesquisa reside na generalizada aceitação da concepção de criatividade como um dom quase mágico com o qual as pessoas teriam sido agraciadas por algum ser divino ou pela natureza. Ou seja, tornou-se senso comum a concepção de criatividade como um potencial individual inato ou que se desenvolve como fruto de interações espontâneas com o ambiente cultural, não necessitando da transmissão sistemática de conhecimento ou até mesmo a ela se opondo. Em linhas gerais, as pedagogias do “aprender a aprender” apresentam uma contraposição entre ensino e criatividade. Em contrapartida, procuramos fundamentar nossa oposição às concepções naturalizantes e espontaneístas do desenvolvimento humano e da criatividade presentes nas pedagogias hegemônicas. Destarte, realizamos uma análise teórico-conceitual que tomou como objetivo compreender a interdependência entre o ensino sistematizado e a criatividade na arte e na educação escolar. Situando-se na perspectiva da pedagogia histórico-crítica, tomou-se a criatividade na arte e na educação escolar como objeto da investigação. Buscando apoio em autores marxistas como Georg Lukács e Lev Vigotski, este estudo parte da noção de criatividade como a transformação da realidade pela atividade humana, ou seja, a criatividade tem sua gênese no trabalho. Nesse sentido, a criatividade será tão mais desenvolvida quanto mais ela se pautar na experiência social acumulada pelo gênero humano. Destaca-se, nesse sentido, a dialética entre objetivação e apropriação, que se constitui em ponto de partida para a superação de dicotomias como criação versus reprodução, construção versus transmissão do conhecimento, inovação versus conservação, entre outras. Nossas considerações finais constatam que a apropriação da cultura é a base objetiva ...pt
dc.description.abstractThis paper presents a study about social-historical development of creativity. Our problem of research lies in widespread acceptance of the concept of creativity as a gift almost magical with which the people would have been received by some divine being or by nature. In other words, it is a common sense the conception of creativity as an inborn individual potential or as something developed by spontaneous interactions between individuals and their cultural environment independently of any transmission or even in opposition to it. In general, the pedagogies of learning to learn feature a contrast between teaching and creativity. On the other hand, we seek to justify our opposition to naturalizing and spontaneous conceptions of the human development and creativity in hegemonic pedagogies. Thus, we performed a theoretical-conceptual analysis that had the goal of understanding the interdependence between the systematized education and creativity in art and in school education. From the perspective of historical-critical pedagogy, creativity in art and in school education was taken as the object of our investigation. Based on Marxist authors as Georg Lukács and Lev Vigotski, this study starts from the notion of creativity as transformation of reality by human activity. In other words, the creativity has its genesis in the work. In this sense, the more the individual is based on the accumulated social experience by humanity this will be more creativity. In this way, the dialectics between objectification and appropriation has to be pointed out, constituting itself in a start point to the supersession of dichotomies like creation versus reproduction, construction versus transmission of knowledge, innovation versus conservation, among others. Our final considerations note that ownership of the culture is the objective basis of creation. The development of creativity depends on the reproduction of the objectification created and accumulated ...en
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.format.extent186 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectLukács, György 1885-1971pt
dc.subjectVigotsky, L. S. (Lev Semenovich), 1896-1934pt
dc.subjectEducaçãopt
dc.subjectArtept
dc.subjectCriatividadept
dc.subjectPedagogia criticapt
dc.titleA criatividade na arte e na educação escolar: uma contribuição à pedagogia histórico-crítica à luz de Georg Lukács e Lev Vigotskipt
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramEducação Escolar - FCLARpt
unesp.knowledgeAreaPsicologia da educação e filosofiapt
unesp.researchAreaTeorias pedagógicas, trabalho educativo e sociedadept
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquarapt
dc.identifier.aleph000809776
dc.identifier.file000809776.pdf
dc.identifier.capes33004030079P2
dc.identifier.lattes2161593951236436
unesp.author.lattes2161593951236436
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record