Show simple item record

dc.contributor.authorCosta, Ester de S. [UNESP]
dc.contributor.authorMorita, Ione [UNESP]
dc.contributor.authorMartinez, Miguel A. R. [UNESP]
dc.date.accessioned2014-05-20T13:38:32Z
dc.date.available2014-05-20T13:38:32Z
dc.date.issued2000-06-01
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2000000200025
dc.identifier.citationCadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 16, n. 2, p. 553-555, 2000.
dc.identifier.issn0102-311X
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/13358
dc.description.abstractO trabalho em turnos existe desde o início da vida social dos homens, sendo utilizado em diferentes setores, como na indústria de produção de bens de consumo e de serviços. A área da saúde exige o sistema em turnos para manutenção de atividades durante 24 horas. Teve-se como objetivo identificar os sistemas de turnos em funcionários de enfermagem em um hospital universitário, avaliar a percepção sobre os prováveis efeitos do trabalho em turnos em sua saúde e vida social e o grau de participação desses funcionários na forma de organização de sua jornada. Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória, cujos resultados foram obtidos mediante questionário aplicado a 348 funcionários da enfermagem do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, São Paulo. Dentre os resultados, observou-se que, em sua maioria, eles tinham menos de 40 anos, eram casados, do sexo feminino, com um filho pelo menos, cumprindo uma escala de turnos alternados, com freqüência de revezamento superior a quinze dias e referindo queixas de caráter neuro-psíquico, gastrintestinal e cardiovascular. Houve ainda queixas sobre relacionamento e tempo de convivência. Na maioria das vezes, era pouca a participação do funcionário na forma de organização de sua escala de trabalho.pt
dc.description.abstractThere is a relationship between shift work and the beginning of organized life. Health services require shift work to keep activities running twenty-four hours a day. This study thus aimed to identify nursing staff shift work systems in a university hospital, evaluate health workers' perceptions of the possible effects of shift work on their health and social life, and assess workers' participation in preparing nursing schedules. In terms of materials and methods, this was an exploratory and descriptive study with a sample of 348 nursing staff members, using an appropriate questionnaire. Most were married women under 40 with at least one child, working on rotating shifts with more than fifteen-days frequency of rotation, and with neurological, psychological, gastrointestinal, and cardiovascular health complaints. They also reported relational problems on the job. Most of the nursing staff played a minor role in preparing nursing schedules.en
dc.format.extent553-555
dc.language.isopor
dc.publisherEscola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
dc.relation.ispartofCadernos de Saúde Pública
dc.sourceSciELO
dc.subjectTrabalho em Turnospt
dc.subjectEquipe de Enfermagempt
dc.subjectSaúde Ocupacionalpt
dc.subjectShift Worken
dc.subjectNursing Teamen
dc.subjectOccupational Healthen
dc.titlePercepção dos efeitos do trabalho em turnos sobre a saúde e a vida social em funcionários da enfermagem em um hospital universitário do Estado de São Paulopt
dc.title.alternativeNursing staff perceptions of the effects of shift work on health and social life at the São Paulo State University hospitalen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Medicina de Botucatu
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Medicina de Botucatu Departamento de Saúde Pública
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Medicina de Botucatu
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Medicina de Botucatu Departamento de Saúde Pública
dc.identifier.doi10.1590/S0102-311X2000000200025
dc.identifier.scieloS0102-311X2000000200025
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Medicina, Botucatupt
dc.identifier.fileS0102-311X2000000200025.pdf
dc.identifier.lattes4595521459297205
unesp.author.lattes4595521459297205
dc.relation.ispartofjcr0.971
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record