Show simple item record

dc.contributor.advisorMoruzzi, Rodrigo Braga [UNESP]
dc.contributor.authorLopes, Mayara Sakamoto [UNESP]
dc.date.accessioned2016-07-01T13:09:50Z
dc.date.available2016-07-01T13:09:50Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.citationLOPES, Mayara Sakamoto. Remoção do fármaco ácido mefenâmico em água via oxidação por cloro e por ozônio. 2016. 74 f. Trabalho de conclusão de curso (Engenharia Ambiental) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2016.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/140206
dc.description.abstractIn this paper, the use of chlorine and ozone as oxidants was investigated to remove Mefenamic Acid from water under different pH and oxidizing dose. Besides, the experiment involved the process of calibrating the ozone generator and the HPLC. The treatment efficiency was determined by the difference between initial and residual drug concentration, making use of High-performance liquid chromatography. Samples at concentration of 100 mg MEF/L had the pH adjusted to 3, 7 and 12 and then were oxidized with chlorine (10,3 mg/L; 14,4 mg/L; 20,6 mg/L) or with ozone (32,9 mg/L;49,3 mg/L; 65,8 mg/L) for 3 minutes. It was found that the solubility of MEF depends on pH, and it is higher in alkaline medium, which interferes in the efficiency analysis. Chlorine was not efficient; the maximum efficiency (19%) of this treatment was reached in acidic conditions. However, ozone is efficient to remove MEF (more than 90%) in neutral and alkaline medium. It was noticed that the pH of the sample, the type and dose of oxidant influence the drug removal efficiencyen
dc.description.abstractNesse trabalho investigou-se a remoção do Ácido Mefenâmico em água por meio de oxidação via cloro e via ozônio, sob diferentes condições de pH da amostra e dosagens de oxidantes. Além disso, a parte experimental envolveu a calibração do equipamento gerador de ozônio e do equipamento HPLC. A eficiência dos processos foi determinada pela diferença entre concentração inicial e remanescente do fármaco, por meio de leituras em equipamento de Cromatografia Líquida de Alta Eficiência. As amostras à concentração de 100 mg MEF/L tiveram o pH ajustado para 3, 7 e 12 e, então, foram submetidas às doses de cloro (10,3 mg/L; 14,4 mg/L; 20,6 mg/L) ou de ozônio (32,9 mg/L; 49,3 mg/L; 65,8 mg/L) durante 3 minutos. Constatou-se que a solubilidade do MEF está condicionada ao pH, sendo maior em meio alcalino, o que interfere nas análises de eficiência. O tratamento com cloro mostrou-se pouco eficaz, atingindo eficiência máxima de 19%, quando a amostra encontrava-se em meio ácido. Em contrapartida, o ozônio mostrou-se eficiente na remoção do MEF, com índices de remoção superiores a 90%, em meio neutro e em meio alcalino. Tanto no tratamento com cloro quanto no tratamento com ozônio, verificou-se que o pH da amostra, o tipo e a dose de oxidante influenciam substancialmente os índices de eficiência de remoção do fármacopt
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
dc.format.extent74 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.sourceAleph
dc.subjectAbastecimento de águapt
dc.subjectCromatografia liquidapt
dc.subjectAgua - Purificação - Oxidaçãopt
dc.titleRemoção do fármaco ácido mefenâmico em água via oxidação por cloro e por ozôniopt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claropt
dc.identifier.aleph866761
dc.identifier.filehttp://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2016-06-21/000866761.pdf
dc.identifier.lattes9408665052901005
unesp.undergraduateEngenharia Ambiental - IGCEpt
unesp.author.lattes9408665052901005
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record