Show simple item record

dc.contributor.authorVasconcelos, José Luiz Moraes [UNESP]
dc.contributor.authorDemétrio, Daniela Garcia Borges [UNESP]
dc.date.accessioned2016-07-07T12:36:56Z
dc.date.available2016-07-07T12:36:56Z
dc.date.issued2011
dc.identifierhttp://www.revista.sbz.org.br/artigo/index.php?artigo=66295
dc.identifier.citationRevista Brasileira de Zootecnia, v. 40, p. 396-401, 2011.
dc.identifier.issn1806-9290
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/141115
dc.description.abstractHeat stress negatively affects the productivity of lactating dairy cows. Lactating dairy cows are more sensitive to heat stress as milk yield increases, because increases metabolic heat production. Selection for milk yield reduces heat tolerance and could increase the susceptibility to heat stress decreasing milk production and pregnancy during the summer. The objective of this review is to discuss how heat stress affects pregnancy, and some strategies to decrease this effect. In a study in Brazil within 33 farms in the southeast, more than 60% of cows have rectal temperature >39.1ºC between 2 to 8PM. In another study rectal temperature at day 7 affected negatively pregnancy rates after artificial insemination or embryo transfer and was detected a tendency of increase in embryonic losses between 25 and 39 days within higher rectal temperature at day 7. Also were detected that high producer cows have lower pregnancy only if also have increase in rectal body temperature. Heat stress is a problem in Brazil, we need to evaluate the rectal temperature at afternoon to determine if cows are in heat stress (>39.1°C) and utilize strategies to minimize negative impact on the profitability of lactating dairy cows.en
dc.description.abstractO estresse calórico afeta negativamente a produtividade de vacas leiteiras. A vaca fica mais sensível ao estresse calórico, à medida que a produção de leite aumenta, pois produz mais calor metabólico. A seleção para produção de leite reduz a capacidade de termorregulação da vaca leiteira e pode aumentar ainda mais a suscetibilidade das vacas leiteiras ao estresse calórico e diminuir a produção de leite e a eficiência reprodutiva durante o verão. Os objetivos nesta revisão foram demonstrar o impacto do estresse calórico na eficiência reprodutiva de vacas leiteiras e alguns fatores que afetam as taxas de prenhez e sugerir estratégias para reduzir o efeito negativo do estresse calórico na produtividade. Em um estudo no Sudeste do Brasil, foi detectado que no verão, em 33 fazendas avaliadas, mais de 60% das vacas avaliadas apresentavam temperatura acima de 39,1ºC no período da tarde. Em outro estudo, verificou-se que a temperatura corporal no dia 7 influenciou negativamente a taxa de concepção em animais submetidos a inseminação artificial (IA) ou transferência de embriões (TE), e também que houve tendência de aumento de perda de gestação entre 25 e 39 dias quando as temperaturas corporais do dia 7 foram maiores. Também foi observado que vacas de maior produção de leite têm menor manutenção da gestação apenas quando têm maior temperatura retal. Estresse calórico é um problema no Brasil, por isso deve-se mensurar a temperatura corporal das vacas no período da tarde, para determinar se estão confortáveis, e tomar medidas necessárias quando a temperatura retal estiver acima de 39,1°C. Se o animal não reagir às intervenções, haverá redução da produtividade, que implica maior custo de produção por litro de leite.pt
dc.format.extent396-401
dc.language.isopor
dc.relation.ispartofRevista Brasileira de Zootecnia
dc.sourceCurrículo Lattes
dc.subjectConceptionen
dc.subjectDairy cowsen
dc.subjectHeat stressen
dc.subjectPregnancyen
dc.subjectConcepçãopt
dc.subjectEstresse calóricopt
dc.subjectGado de leitept
dc.subjectPrenhezpt
dc.titleManejo reprodutivo de vacas sob estresse calóricopt
dc.title.alternativeReproductive management in lactating dairy cows within heat stressen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), Departamento de Produção Animal, Botucatu, SP, Brasil
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), Departamento de Produção Animal, Botucatu, SP, Brasil
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Botucatupt
dc.identifier.fileISSN1806-9290-2011-40-396-401.pdf
dc.identifier.lattes1069922096621313
unesp.departmentProdução Animalpt
unesp.author.lattes1069922096621313
dc.relation.ispartofjcr0.735
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record