Show simple item record

dc.contributor.authorLepera, José Salvador [UNESP]
dc.date.accessioned2017-01-18T18:11:47Z
dc.date.available2017-01-18T18:11:47Z
dc.date.issued2003
dc.identifierhttp://proex.reitoria.unesp.br/congressos/Congressos/2__Congresso/Sa_de/Saude138.htm
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/148465
dc.description.abstractIntrodução: Milhões de trabalhadores são expostos diariamente a agentes químicos, em decorrência de sua atividade profissional. Em toda exposição o risco para a saúde está associado ao modo como os agentes químicos são usados, tornando necessária, em muitos casos, a avaliação adequada da exposição para que se possa propor as medidas de controle que sejam necessárias e suficientes. O setor de Toxicologia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da UNESP – Campus de Araraquara, disponibiliza conhecimento, tecnologia e serviços para avaliação de riscos químicos nos ambientes de trabalho e encontra nos Trabalhadores e nas Empresas os parceiros que tornam possível estudar as exposições em condições reais, para produzir informação científica autóctone. Métodos: As avaliações das exposições são feitas em duas vertentes complementares, que são a ambiental e a biológica. Na avaliação ambiental, através de estratégias de amostragem estabelecidas para cada caso, coleta-se ar da zona respiratória dos trabalhadores e, após análises laboratoriais, tratamento e interpretação adequada dos achados e utilizando-se dos princípios da Higiene Ocupacional, estima-se a exposição do trabalhador em relação a referências apropriadas. Pode-se, por exemplo, quantificar os metais que compõe os fumos emitidos em operações de solda ou os solventes emitidos em operações de pintura ou de colagem, verificando-se suas possibilidades de interação com o organismo do trabalhador e estimando o risco associado. Já a avaliação biológica se utiliza de biomarcadores presentes no organismo do trabalhador exposto, medidos mais frequentemente na urina e no sangue, com os quais se identificam sinais prodrômicos que são utilizados para prevenir danos à saúde. Resultados: Milhares de trabalhadores já foram atendidos em procedimentos de avaliação biológica e diversas empresas já se beneficiaram de orientação ou da avaliação ambiental de exposições, em um espectro que compreende desde a grande companhia industrial até a empresa familiar e mesmo o autônomo, formas de acomodação do trabalhador excluído da formalidade e que não é alcançado por ações do Estado em saúde no trabalho. Os ramos de atividade a que pertencem são diversificados: a indústria de máquinas e equipamentos, de implementos agrícolas, as do complexo agro industrial da laranja e da cana de açúcar, empresas prestadoras de serviço, companhias estatais, concessionárias de serviço público, prefeituras, universidades, sindicatos, laboratórios, profissionais médicos, engenheiros e outros técnicos atuantes em saúde no trabalho.pt
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.relation.ispartofCongresso de Extensão Universitária
dc.sourcePROEX
dc.titleAtividade de extensão do setor de toxicologia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara - UNESPpt
dc.typeResumo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Princípios Ativos Naturais e Toxicologia, Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Princípios Ativos Naturais e Toxicologia, Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Araraquarapt
dc.identifier.lattes6710074203174471
unesp.departmentPrincípios Ativos Naturais e Toxicologia - FCFARpt
unesp.author.lattes6710074203174471
Localize o texto completo

Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record