Show simple item record

dc.contributor.advisorPolegato, Bertha Furlan [UNESP]
dc.contributor.authorAlegre, Patrícia Helena Corrêa [UNESP]
dc.date.accessioned2017-04-25T18:24:44Z
dc.date.available2017-04-25T18:24:44Z
dc.date.issued2017-02-23
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/150406
dc.description.abstractIntrodução: o estresse oxidativo é um dos principais mecanismos de lesão durante e após a isquemia miocárdica. O açaí é um fruto que possui uma elevada capacidade antioxidante. O objetivo do estudo foi avaliar a influência do açaí no modelo de isquemia global-reperfusão em ratos. Material e métodos: foram utilizados 19 ratos Wistar machos, alocados em 2 grupos: Controle (receberam dieta padrão) e Açaí (receberam dieta padrão suplementada de açaí a 5%). Após seis semanas, os animais foram submetidos ao protocolo de isquemia global-reperfusão e estudo do coração isolado. Durante o protocolo, foi avaliada a função ventricular no período pós-isquemia e reperfusão. Os corações foram utilizados para análise da porcentagem de área isquêmica, avaliação do estresse oxidativo e metabolismo energético miocárdico. Resultados: Não houve alteração estatisticamente significante entre os grupos com relação ao peso inicial, peso final, consumo diário de ração, área de infarto do miocárdio e na expressão das proteínas NF-κB fosforilado e total, FOXO1 acetilada e total, SIRT1 e Nrf-2. A suplementação de açaí promoveu menor concentração miocárdica de hidroperóxido de lipídio e observamos maior atividade das enzimas catalase, superóxido dismutase e glutationa peroxidase. Observamos maior atividade da β-hidroxiacil-coenzimaA desidrogenase, piruvato desidrogenase e citrato sintase no miocárdio dos animais que receberam açaí e menor atividade das enzimas lactato desidrogenase e fosfofrutoquinase. Com relação à cadeia respiratória mitocondrial observamos maior atividade do complexo I, complexo II e ATP sintase no grupo suplementado com açaí. A função sistólica foi semelhante entre os grupos e os animais que receberam açaí apresentaram pior função diastólica quando comparados aos animais que não receberam. Não observamos diferença entre os grupos controle e açaí em relação à área seccional do miócito. Conclusão: apesar de melhorar o metabolismo energético e atenuar o estresse oxidativo, a suplementação de açaí não diminuiu a área de infarto, bem como não melhorou a função ventricular esquerda no modelo de isquemia global/reperfusão.pt
dc.description.abstractIntroduction: Oxidative stress is one of the main mechanisms of injury during and after myocardial ischemia. Açaí is a fruit that has a high antioxidant capacity. The aim of the study was to evaluate the influence of açaí in the global ischemia-reperfusion model in rats. Material and methods: We used 19 male Wistar rats, allocated in 2 groups: Control (received standard diet) and Açaí (received a standard diet supplemented with 5% açaí). After six weeks, the animals were submitted to the global ischemia-reperfusion protocol and isolated heart study. During the protocol, the ventricular function in the post-ischemic and reperfusion period was evaluated. The hearts were used to analyze the percentage of ischemic area, evaluation of oxidative stress and myocardial energetic metabolism. Results: There was no statistically significant difference between the groups in initial body weight, final body weight, daily feed intake, myocardial infarction area and expression of phosphorylated and total NF-κB protein, acetylated and total FOXO1, SIRT1 and Nrf-2. Açaí supplementation promoted a lower myocardial concentration of lipid hydroperoxide and we observed higher activity of the enzymes catalase, superoxide dismutase and glutathione peroxidase. We also observed increased activity of β-hydroxyacyl-coenzyme A dehydrogenase, pyruvate dehydrogenase, and citrate synthase in the myocardium of animals that received acai, as well lower activity of the enzymes lactate dehydrogenase and phosphofructokinase. Regarding the mitochondrial respiratory chain, we observed higher activity of complex I, complex II and ATP synthase in the group supplemented with açaí. The systolic function was similar between the groups and the animals that received açaí presented worse diastolic function when compared to the animals that did not receive. We did not observe difference between the control and açaí groups in relation to the sectional area of the myocyte. Conclusion: despite improving energy metabolism and attenuating oxidative stress, açaí supplementation did not decrease the infarcted area, nor did it improve left ventricular function in the global ischemia / reperfusion model.en
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.subjectAçaípt
dc.subjectEstresse oxidativopt
dc.subjectMetabolismo energéticopt
dc.subjectIsquemia miocárdicapt
dc.subjectReperfusão miocárdicapt
dc.titleInfluência da suplementação de açaí (Euterpe oleracea Mart.) no modelo de isquemia-reperfusão em ratospt
dc.title.alternativeInfluence of acai supplementation (Euterpe oleracea Mart.) in the model of ischemia-reperfusion in ratsen
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramFisiopatologia em Clínica Médica - FMBpt
unesp.knowledgeAreaFisiopatologia em clínica médicapt
unesp.researchAreaRemodelação e suas Repercussões Cardiovasculares e Sistêmicaspt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Medicina, Botucatupt
unesp.embargoOnlinept
dc.identifier.aleph000884599
dc.identifier.capes33004064020P0
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record