Show simple item record

dc.contributor.advisorBaraldi, Ivete Maria [UNESP]
dc.contributor.authorRosa, Fernanda Malinosky Coelho da [UNESP]
dc.date.accessioned2017-08-24T14:58:45Z
dc.date.available2017-08-24T14:58:45Z
dc.date.issued2017-08-07
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/151396
dc.description.abstractEsta pesquisa teve por objetivo esboçar uma compreensão sobre como os alunos e seus responsáveis legais, em suas vidas pessoais e durante sua formação escolar, percebem o processo de escolarização no contexto da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Como fontes para a produção de dados tivemos, além da pesquisa bibliográfica e documental, as textualizações das entrevistas realizadas à luz da metodologia da História Oral praticada pelo Grupo História Oral e Educação Matemática (Ghoem). Esse estudo fornece novos elementos para a recente linha de pesquisa deste Grupo denominada Narrativas e ensino e aprendizagem de Matemática (Inclusiva), que tem como um dos objetivos a produção e o uso de narrativas de professores e de alunos com deficiência para compreender aspectos da educação inclusiva. A partir das narrativas, foi possível estabelecer reflexões sobre o cotidiano de um aluno com deficiência visual dentro e fora de sala de aula, como as mães fizeram/fazem para conseguir tratamento médico e educação para os filhos e, ainda, sobre como os professores e a escola, como um todo, lidam com este aluno. Foi possível perceber ainda como os alunos veem as questões da deficiência em relação ao outro sem deficiência e em relação a si próprio, bem como a questão da formação recebida que, inevitavelmente, está associada à formação de professores. Dessa maneira, também é possível vislumbrar que deve ocorrer uma educação colaborativa nas universidades e nas escolas visando a formação de professores capacitados e especialistas. Por fim, se faz necessário refletir que, enquanto sociedade, se nada mudar no macro não se conseguirá mudar o ambiente escolar e, consequentemente, a Educação Matemática é diretamente influenciada. A inclusão não ocorrerá se os conceitos de padronização, normalidade e a idealização de discentes homogêneos forem perpetuados no ambiente escolar. Assim, esse trabalho contribui para a Educação Matemática (Inclusiva) trazendo novos elementos para a discussão.pt
dc.description.abstractThis research aimed to outline an understanding of how students and their legal guardians, in their personal lives and during their school education, perceive the schooling’s process in the context of Special Education in the perspective of Inclusive Education. As sources for the data production, we had the bibliographical and documentary research, and interviews that were textualized, carried out in the light of the Oral History methodology practiced by the Oral History and Mathematics Education Group (Grupo de História Oral e Educação Matemática - Ghoem). This study provides new elements for this group's recent research line called Narratives and (Inclusive) Mathematics Teaching and Learning, one of which aims at producing and using narratives of teachers and students with disabilities to understand aspects of Inclusive Education. From the narratives, it was possible to establish reflections on the daily life of a visually impaired student inside and outside the classroom, what mothers did or do to obtain medical treatment and education to their sons or daughters, and how the teachers and the school, as a whole, deal with these students. It was also possible to see how students view issues of disability in relation to the other without disability and in relation to oneself, as well as the question of the received training that is inevitably associated with the teachers’ formation. In this way, it is also possible to envisage that a collaborative education should take place in universities and in schools aiming at the training of qualified teachers and specialists. Finally, it is necessary to reflect that, as a society, if nothing changes in the macro, it will not be possible to change the school environment and, consequently, Mathematics Education is directly influenced. Inclusion will not occur if the concepts of standardization, normality and the idealization of homogeneous students are perpetuated in the school environment. Thus, this work contributes to (Inclusive) Mathematics Education bringing new elements to the discussion.en
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.subjectHistória oralpt
dc.subjectInclusão escolarpt
dc.subjectEducação especialpt
dc.subjectOral historyen
dc.subjectSpecial educationen
dc.subjectScholar inclusionen
dc.titleHistórias de vida de alunos com deficiência visual e de suas mães: um estudo em Educação Matemática Inclusivapt
dc.title.alternativeStudents with visual impairment and their mothers’ life stories: a study in Inclusive Mathematics Educationen
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramEducação Matemática - IGCEpt
unesp.knowledgeAreaEnsino e aprendizagem da matemática e seus fundamentos filosófico-científicospt
unesp.researchAreaRelações entre História e Educação Matemáticapt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claropt
unesp.embargoOnlinept
dc.identifier.aleph000890887
dc.identifier.capes33004137031P7
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record