Show simple item record

dc.contributor.advisorBraccialli, Ligia Maria Presumido [UNESP]
dc.contributor.authorSpiller, Marcelo Grandini [UNESP]
dc.date.accessioned2017-10-03T14:45:25Z
dc.date.available2017-10-03T14:45:25Z
dc.date.issued2017-09-06
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/151817
dc.description.abstractO computador tem sido cada vez mais utilizado por professores como recurso para o ensino de alunos com paralisia cerebral durante as atividades escolares. Devido aos comprometimentos motores impostos por tal desordem, estes alunos podem apresentar dificuldades de acesso ao computador dependendo do dispositivo de entrada utilizado. Existem dispositivos convencionais, como o mouse e o teclado padrão, e também aqueles de maior tecnologia como a tela sensível ao toque e os acionadores eletrônicos pelo olhar, como o eye tracker, que podem auxiliar neste processo. Mas qual deles proporciona ao aluno com paralisia cerebral, melhor acesso ao computador: o mouse convencional, a tela sensível ao toque ou o eye tracker? O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia destes três dispositivos de entrada no acesso ao computador por alunos com paralisia cerebral. Participaram do estudo 15 alunos com paralisia cerebral com idade entre 6 e 14 anos, com níveis GMFCS e MACS de I a V. Para a avaliação da eficácia dos dispositivos, os participantes usaram um notebook com tela sensível ao toque, um mouse convencional e um eye tracker para realizar tarefas com os seguintes softwares: o Discrete Aiming Task 2.0, para avaliar o tempo de resposta do usuário na tarefa de seleção de alvo; o Tracking Task 2.0, para avaliar o a porcentagem de tempo no círculo e a frequência de erros na seleção e rastreamento de alvo e, o Single Switch Performance Test (SSPT) 1.0 para avaliar o tempo médio de acionamento de um alvo. Para avaliação do grau de satisfação dos participantes com relação aos dispositivos foi utilizada uma escala analógica visual. Por fim, os usuários foram questionados sobre a preferência dos dispositivos utilizados. Foi realizada análise estatística não paramétrica com nível de significância p≤0,05. Os resultados significativos estatisticamente mostraram que: (1) o eye tracker causou menor frequência de erros, no uso do software Tracking Task v.2.0; (2) o mouse apresentou o menor tempo médio de acionamento no SSPT; (3) A tela sensível ao toque foi o mais eficaz na variável tempo mais lento de acionamento no SSPT; (4) Os participantes com o nível de habilidade manual mais comprometido usaram menos o mouse. As comparações entre: os níveis de habilidade manual e a preferência do dispositivo; os níveis de habilidade motora e a preferência do dispositivo; o gênero dos usuários e a preferência do dispositivo; a classificação topográfica e a preferência do dispositivo, não indicaram diferenças significativas. Observou-se diferença estatística entre o nível de classificação de habilidade manual com a possibilidade de conseguir usar o mouse. O nível de função motora grossa e de habilidade manual dos participantes tem relação com a satisfação com os dispositivos de entrada. Conclui-se que o eye tracker foi o dispositivo mais eficaz na tarefa de seleção de alvos; o mouse, o mais eficaz para os tempos médio e mais rápido de acionamento e, também, para o rastreamento de alvos; a tela sensível ao toque foi mais eficaz na variável tempo mais lento de acionamento e no tempo de resposta para seleção de alvo. A maioria dos participantes preferiu a tela sensível ao toque e demonstrou maior satisfação pela tela sensível ao toque e pelo eye tracker. Espera-se que o presente estudo possa auxiliar e orientar o professor na seleção do dispositivo para acesso ao computador para o aluno com paralisia cerebral.pt
dc.description.abstractComputer has been increasingly used by teachers as a resource for teaching students with cerebral palsy in school activities. Due to the motor impairments imposed by such disorder, these students may have difficulties in computer access depending on the input device used. There are conventional devices, such as mouse and standard keyboard, as well as those with higher technology such as touch screen and electronic triggers by the look, such as eye tracker, that can help in this process. But which one gives the cerebral palsy students better computer access: the conventional mouse, touch screen or eye tracker? The objective of this study was to evaluate the effectiveness of these three input devices in computer access by cerebral palsy students. Participated in the study fifteen cerebral palsy students aged 6 to 14 years with GMFCS and MACS levels from I to V. For evaluation device efficacy, participants used a notebook with a touch screen, a conventional mouse and a eye tracker to perform tasks with the following softwares: the Discrete Aiming Task 2.0, to evaluate the user response time in the target selection task; Tracking Task 2.0, to evaluate the percentage of time in the circle and the errors frequency in selection and tracking target, and the Single Switch Performance Test (SSPT) 1.0 to evaluate the average trigger time of a target. In order to evaluate the participants' satisfaction with the devices, was used the an analogue visual scale. Finally, users were asked about the devices preference. Non-parametric statistical analysis was performed with significance level p≤0.05. Statistically significant results showed that: (1) Eye tracker caused less error frequency in the use of the Tracking Task v.2.0 software; (2) Mouse had the shortest average drive time in the SSPT; (3) Touch screen was the most effective in the variable slower drive time in the SSPT; (4) Participants with the most compromised manual skill level used the mouse the least. Comparisons between: manual skill levels and device preference; Motor skill levels and device preference; The gender of the users and the device preference; Topographical classification and device preference didn’t indicate significant differences. Was observed a statistical difference between the level of manual skill classification and the possibility of using the mouse. Level of gross motor function and manual skill of participants is related to satisfaction with input devices. Concluded that eye tracker was the most efficient device in target selection task; Mouse, the most effective for the medium and fastest activation times and also for the tracking targets; Touch screen was more effective in the time variable slower of activation and response time for target selection. Most participants preferred touch screen and showed greater satisfaction with touch screen and eye tracker. Expected that the present study can help and guide the teacher in the selection of the device for access to the computer for the student with cerebral palsy.en
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.subjectEducação especialpt
dc.subjectTecnologia assistivapt
dc.subjectParalisia cerebralpt
dc.subjectComputadorpt
dc.subjectDispositivo de entradapt
dc.subjectSpecial educationen
dc.subjectAssistive technologyen
dc.subjectCerebral palsyen
dc.subjectComputeren
dc.subjectInput deviceen
dc.titleAvaliação de dispositivos de entrada para acesso ao computador por alunos com paralisia cerebralpt
dc.title.alternativeEvaluation of input devices for computer access by cerebral palsy studentsen
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramEducação - FFCpt
unesp.knowledgeAreaEnsino na Educação Brasileirapt
unesp.researchAreaEducação Especial no Brasil
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília
unesp.embargoOnlinept
dc.identifier.aleph000892710
dc.identifier.capes33004110040P5
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record