Show simple item record

dc.contributor.advisorTenani, Luciani Ester [UNESP]
dc.contributor.authorSilva, Lilian Maria da
dc.date.accessioned2018-06-11T12:44:24Z
dc.date.available2018-06-11T12:44:24Z
dc.date.issued2018-02-21
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/154209
dc.description.abstractEsta tese investiga se grafias de segmentação em palavras forneceriam pistas da prosodização de clíticos preposicionais do Português Brasileiro (doravante, PB). Para conduzir esse objetivo, inicialmente são analisadas hipossegmentações envolvendo preposições (“denovo”, para de novo) e hipersegmentações de sílabas pretônicas cuja cadeia segmental é idêntica a um clítico preposicional (“de vagar”, para devagar). Analisando as estruturas das grafias de segmentação em palavras, constatou-se diferenças morfossintáticas no funcionamento dos clíticos preposicionais e instabilidade em categorizar uma sílaba átona ora como clítico ora como sílaba pretônica. Partindo desses resultados, foram construídos experimentos de produção e de percepção de fala, com o intuito de verificar, por um lado, se diferenças acústicas (no tempo de duração da sílaba) estariam vinculadas a diferenças sintáticas e, por outro lado, se informações acústicas e perceptuais forneceriam pistas aos falantes do PB sobre um limite entre clítico e sílaba pretônica. Com base nos resultados do teste de produção de fala, segundo o parâmetro da duração, não foram encontradas evidências que sustentassem diferenças entre os clíticos preposicionais e diferenças entre clíticos e sílabas pretônicas. Considerando os resultados do experimento de percepção de fala, foi possível constatar que informações sintáticas e fonéticas idênticas dificultam a percepção e categorização de uma sílaba átona como clítico ou como sílaba pretônica. No entanto, informação fonológica (evidenciada pela aplicação de processos fonológicos) é crucial para a identificação de estatutos distintos da sílaba átona, colocando em evidência que, em termos prosódicos, há distinção entre sílabas átonas internas e externas à estrutura de palavra. Nesse sentido, os dados de segmentação analisados fornecem mais pistas da organização das relações sintáticas entre preposições e seus complementos e menos pistas da organização prosódica de estruturas de clítico e hospedeiro.pt
dc.description.abstractThis thesis investigates whether spellings in word segmentation would provide clues to the prosodization of prepositional clitics of Brazilian Portuguese (henceforth, PB). In order to achieve this goal, we analyze hyposegmentations involving prepositions (e.g. "denovo" (“de novo”) - again) and hypersegmentations of pretonic syllables whose phonic chain is identical to a prepositional clitic ("de vagar" (“devagar”) - slow). Analyzing the spellings in words segmentation, we verified morphosyntactic differences in the functioning of prepositional clitics and instability in categorizing an unstressed syllable or as clitic or as a pretonic syllable. From these results, speech production and speech perception experiments were constructed to verify, on the one hand, whether acoustic differences (at the time of syllable duration) would be related to syntactic differences and, on the other hand, if acoustic and perceptual informations would provide clues to PB speakers about a boundary between clitics and pretonic syllables. Based on the results of the speech production test, according to the duration syllable, no evidence was found to support differences between prepositional clitics and differences between clitics and pretonic syllables. Based on the results of the speech perception experiment, we verify that only syntactic and phonetic informations are not enough for perception and categorization of unstressed syllable as clitic or as pretonic syllable. However, phonological information (evidenced by phonological processes) is crucial for identification of distinct status of the unstressed syllable. Therefore, in prosodic terms, there is a distinction between pretonic syllables and clitics. Therefore, the word segmentation data provides more clues to the organization of the syntactic relationship between prepositions and their complements and less clues of the prosodic organization of clitic and host structures.en
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.subjectClíticos preposicionaispt
dc.subjectSegmentação de palavras escritaspt
dc.subjectProsodizaçãopt
dc.subjectProdução de falapt
dc.subjectPercepção de falapt
dc.subjectPrepositional cliticsen
dc.subjectSegmentation of written wordsen
dc.subjectProsodizationen
dc.subjectSpeech productionen
dc.subjectSpeech Perceptionen
dc.titleGrafias não convencionais de preposições e sílabas pretônicas: pistas de prosodização de clíticos preposicionaispt
dc.title.alternativeUnconventional spelling of prepositions and pretonic syllables: clues prosodization of preposicional cliticsen
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.description.sponsorshipIdFAPESP 2014/18050-7
dc.description.sponsorshipIdFAPESP 2015/23238-8
unesp.graduateProgramEstudos Linguísticos - IBILCEpt
unesp.knowledgeAreaAnálise linguísticapt
unesp.researchAreaOralidade e Letramentopt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas, São José do Rio Pretopt
unesp.embargoOnlinept
dc.identifier.aleph000904963
dc.identifier.capes33004153069P5
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record