Show simple item record

dc.contributor.advisorZuin, João Carlos Soares [UNESP]
dc.contributor.authorSousa, Dayane Caroline da Costa [UNESP]
dc.date.accessioned2018-09-19T17:27:10Z
dc.date.available2018-09-19T17:27:10Z
dc.date.issued2017-12-16
dc.identifier.citationSOUSA, Dayane Caroline da Costa. A influência midiática em reportar fluxos migratórios: a exclusão ou inclusão de determinados grupos de refugiados. 2017. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Ciências Sociais) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras (Campus de Araraquara), 2017.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/156382
dc.description.abstractThis monograph is dedicated to the study of the the migratory flows and the refugee crisis in Europe, considered the most serious humanitarian crisis since the Second World War. In order to understand these processes it is necessary that we understand the economic changes that caused it. The final decades of the twentieth century were decisive for the consolidation of global capitalism and the consequent shift of previously natural humans rights, like the right to migration that was present in the Universal Declaration of Human Rights. This monograph builds on the historical journey since 90's to understand how the markets that open at the end of the Cold War and the victory of capitalism were responsible for subjective change in all areas of human life. Politically, the weakening of the welfare state and the end of the social politics, we produce a helpless and frustrated subject, unstable jobs and unemployment due to the dislocation of capital that guarantees the companies to go to where it is convenient economically. Unemployment is now structural, and it becomes a reality both in the global cities, where capital plays a greater role and has a greater cultural prestige, than in the underdeveloped cities. The people of these countries, due to the lack of quality in social, economic, environmental, political (most of theses countries faces civil war and coups d'état) migrate to Europe, a continent that is now unable to contain those fluxes or develop social politics for immigration in Europe. These two social groups of unemployed (citizens and immigrant) now fights for the same space in the city, which will produce new racist and xenophobic waves. The influence of the media is crucial, in order to project the responsibility for all these processes, with a creation of narratives and false numbers to strengthen the idea that the responsibility of the immigrant in all social problems is increasingly... (Complete abstract eletronic acess below)en
dc.description.abstractEssa monografia é dedicada ao estudo dos fluxos migratórios e a crise de refugiados na Europa, considerada a crise humanitária mais greve desde a Segunda Guerra Mundial. Para entender esses processos é necessário antes de tudo entender as mudanças econômicas que o causaram. As décadas finais do século XX foram decisivas para a consolidação do capitalismo global, tal como se tem hoje e a consequente inversão de direitos antes considerados naturais ao indivíduo, como direito a migração presente nos Declaração Universal dos Direitos Humanos. Esta monografia buscou fazer um trajeto histórico a partir dos anos 90 para entender como os mercados abertos com o fim da Guerra Fria e a vitória do capitalismo foram responsáveis pelas alterações subjetivas em todas as esferas da vida humana. Politicamente, o enfraquecimento do estado social e o fim das políticas assistencialistas, produzem um individuo desamparado e frustrado, com empregos instáveis e até desempregado por conta do deslocamento de capitais que garante as empresas estarem onde é conveniente economicamente. O desemprego agora é estrutural, e passa a ser uma realidade tanto nas cidades globais, onde o capital exerce seu maior domínio e tem maior prestígio cultural, quanto nas cidades de países menos desenvolvidos. Os habitantes desses países, por conta da falta de condições sociais, econômicas, ambientais e políticas (pelo excessivo número de conflitos e golpes de estado que a maioria enfrenta) acabam migrando para a Europa, continente que agora se encontra incapaz de conter esses fluxos ou desenvolver políticas sociais aos imigrantes presentes na Europa. Esses dois grupos sociais de desempregados (autóctones e imigrantes) passam a disputar o mesmo espaço na cidade, o que produzira novas ondas racistas e xenofóbicas. A influência da mídia nesse sentido é determinante, por projetar nesses imigrantes a... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)pt
dc.format.extent35 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectComunicação de massapt
dc.subjectRefugiadospt
dc.subjectMigraçãopt
dc.subjectCapitalismopt
dc.subjectCapitalismpt
dc.titleA influência midiática em reportar fluxos migratórios: a exclusão ou inclusão de determinados grupos de refugiadospt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquarapt
dc.identifier.aleph000897268
dc.identifier.filehttp://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2018-03-06/000897268.pdf
unesp.undergraduateCiências Sociais - FCLARpt
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record