Show simple item record

dc.contributor.advisorVanderlei, Luiz Carlos Marques [UNESP]
dc.contributor.authorRibeiro, Felipe [UNESP]
dc.date.accessioned2020-02-14T13:26:05Z
dc.date.available2020-02-14T13:26:05Z
dc.date.issued2020-02-06
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/191597
dc.description.abstractOs programas de reabilitação cardiovascular (PRCV) são importantes para cardiopatas em geral e indivíduos com fatores de risco cardiovasculares, porém, podem ser associados com o risco de surgimento de sinais e sintomas durante o seu desenvolvimento, e, investigar possíveis fatores que possam predizer a possibilidade destes durante a sua realização, como por exemplo a estratificação de risco cardíaco, é de extrema importância no cenário clínico. Objetivos: Avaliar a precisão dos protocolos de estratificação de risco em prever sinais e sintomas durante a realização de um PRCV. Materiais e Métodos: Foram realizadas estratificações de risco cardíaco em 7 protocolos diferentes de 80 pacientes atendidos em um PRCV e acompanhados por um período de 24 sessões para avaliação de sinais e sintomas. A normalidade dos dados foi verificada pelo teste de Shapiro-Wilk e a relação entre o número de intercorrências dos pacientes e as estratificações de risco foi analisada pela correlação de Pearson/Spearman. Foram avaliadas a sensibilidade, a especificidade e acurácia para a ocorrência de eventos. A área sob a curva foi considerada significativa quando valores ≥ 0,650 foram obtidos. Todos os resultados foram discutidos no nível de 5% de significância. Resultados: Não foram encontradas correlações significantes entre a ocorrência de sinais e sintomas e os protocolos de estratificação de risco cardíaco (p > 0,05). O protocolo da American Heart Association (AHA) apresentou melhor acurácia (0,61 [0,49 – 0,73]) e especificidade (0,67 [0,35 – 0,90]). O protocolo da Sociedade Francesa de Cardiologia (SFC), apresentou os melhores resultados para sensibilidade (0,59 [0,48 – 0,73]). Conclusão: Os protocolos avaliados não apresentarem correlações significantes entre as classes de risco e a ocorrência de sinais e sintomas durante os PRCV, entretanto seu uso nesses programas ainda é extremante importante para o manejo e segurança dos pacientes.pt
dc.description.abstractCardiovascular rehabilitation programs (CRP) are important for cardiac patients in general and individuals with cardiovascular risk factors, however, they can be associated with the risk of the appearance of signs and symptoms during their development, and, investigate possible factors that may predict the the possibility of these during its performance, such as stratification of cardiac risk, is extremely important in the clinical setting. Objectives: Evaluate the accuracy of risk stratification protocols in predicting signs and symptoms during the performance of a CRP. Materials and Methods: Cardiac risk stratifications were performed in 7 different protocols of 80 patients treated at a CRV and followed for a period of 24 sessions to assess signs and symptoms. The normality of the data was verified by the Shapiro-Wilk test and the relationship between the number of complications of the patients and the risk stratifications was analyzed by the Pearson/Spearman correlation. Sensitivity, specificity and accuracy for the occurrence of events were evaluated. The area under the curve was considered significant when values ≥ 0.650 were obtained. All results were discussed at the 5% significance level. Results: No significant correlations were found between the occurrence of signs and symptoms and the cardiac risk stratification protocols (p> 0.05). The American Heart Association (AHA) protocol showed better accuracy (0.61 [0.49 - 0.73]) and specificity (0.67 [0.35 - 0.90]). The protocol of the French Society of Cardiology (SFC), presented the best results for sensitivity (0.59 [0.48 - 0.73]). Conclusion: The evaluated protocols do not present significant correlations between risk classes and the occurrence of signs and symptoms during PRCV, however their use in these programs is still extremely important for the management and safety of patients.en
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.subjectServiço de reabilitaçãopt
dc.subjectSinais e sintomaspt
dc.subjectRisco cardíacopt
dc.subjectProtocolos clínicospt
dc.subjectDoenças cardiovascularespt
dc.subjectRehabilitation serviceen
dc.subjectSignals and symptonsen
dc.subjectHeart risken
dc.subjectClinical protocolsen
dc.subjectCardiovascular diseasesen
dc.titleOs protocolos de estratificação de risco cardíaco são eficazes em prever intercorrências, durante a realização de um programa de reabilitação cardiovascular?pt
dc.title.alternativeAre cardiac risk stratification protocols effective in predicting complications while conducting a cardiovascular rehabilitation program?en
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.description.sponsorshipIdFAPESP: 2018/07587-0
dc.description.sponsorshipIdCAPES: Código de Financiamento 001
unesp.graduateProgramFisioterapia - FCTpt
unesp.knowledgeAreaAvaliação e intervenção em fisioterapiapt
unesp.researchAreaAvaliação e Intervenção em Fisioterapia nos sistemas cardiovascular, endócrino e respiratório.pt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudentept
unesp.embargo24 meses após a data da defesapt
dc.identifier.aleph000928964
dc.identifier.capes33004129045P2
unesp.examinationboard.typeBanca públicapt
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record