Show simple item record

dc.contributor.authorCosta-rosa, Abílio Da [UNESP]
dc.date.accessioned2021-07-14T10:44:24Z
dc.date.available2021-07-14T10:44:24Z
dc.date.issued2012-03
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2012000100013
dc.identifier.citationEstudos de Psicologia (Campinas). Campinas, SP, Brazil: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, v. 29, n. 1, p. 115-126, 2012.
dc.identifier.issn0103-166X
dc.identifier.issn1982-0275
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/212733
dc.description.abstractThe institution of Mental Health is analyzed as a device for producing subjectivity. Though it deals with a unique production sector, the application of the analytical frame of reference of Social Formations and the market, as espoused by Marx, may bring to light some extremely useful aspects in the analysis of the composition and productive effects of such practices in the field of mental health, within our context, at this present moment in time. Two production modes stand out in clear contradiction: their arguments are consistent with either that of the capitalist mode of production or with the cooperative mode of production that preceded it; the definition of health will vary radically according to the case. It may be concluded that, within both the psychic and mental spheres, health production is inseparable from the production of subjectivity, being either syntonic or dystonic, according to the mode of production that provides the foundations for its fulfillment. With these elements, a new definition for psychic health is being proposed here as a basis for actions of Psychosocial Care.en
dc.description.abstractAnalisa-se a instituição de saúde mental como dispositivo de produção de subjetividade. Embora se trate de um setor singular da produção, a aplicação do referencial de análise das formações sociais e da mercadoria, criado por Marx, pode trazer à luz aspectos de extrema utilidade na análise da composição e dos efeitos produtivos das práticas no campo da saúde mental em nosso contexto na atualidade. Dois modos de produção destacam-se em flagrante contradição: suas lógicas são congruentes com a do modo capitalista de produção ou com a lógica dos modos de produção cooperados que o antecederam; a concepção de saúde variará radicalmente em cada caso. Conclui-se que, no âmbito da saúde psíquica e mental, a produção de saúde é indissociável da produção de subjetividade, podendo estas ser sintônicas ou dessintônicas entre si, dependendo do modo de produção em que são realizadas. Propõe-se nova definição de saúde para a atenção psicossocial.pt
dc.format.extent115-126
dc.language.isopor
dc.publisherPrograma de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
dc.relation.ispartofEstudos de Psicologia (Campinas)
dc.sourceSciELO
dc.subjectSocial supporten
dc.subjectPsychotherapyen
dc.subjectHealth care reformen
dc.subjectApoio socialpt
dc.subjectPsicoterapiapt
dc.subjectReforma dos serviços da saúdept
dc.titleA instituição de saúde mental como dispositivo social de produção de subjetividadept
dc.title.alternativeThe mental health institution as a social device for producing subjectivityen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciência e Letras
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciência e Letras
dc.identifier.doi10.1590/S0103-166X2012000100013
dc.identifier.scieloS0103-166X2012000100013
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.identifier.fileS0103-166X2012000100013.pdf
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record