Show simple item record

dc.contributor.authorHofbauer, Andreas [UNESP]
dc.date.accessioned2014-05-20T15:14:14Z
dc.date.available2014-05-20T15:14:14Z
dc.date.issued2011-07-01
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522011000100003
dc.identifier.citationRevista Brasileira de Ciência Política. Universidade de Brasília (UnB). Instituto de Ciência Política, n. 5, p. 37-79, 2011.
dc.identifier.issn0103-3352
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/29107
dc.description.abstractEste ensaio debate a questão da dominação e do contrapoder com base no exemplo de alguns momentos específicos da história do candomblé. Partindo de uma reflexão sobre perspectivas teóricas antropológicas e pós-coloniais recentes sobre cultura, identidade e poder, procura-se mostrar que o candomblé se apresenta como um campo disputado, não apenas internamente, mas, inclusive, no que diz respeito à sua delimitação externa. Argumenta-se que uma aproximação entre olhares antropológicos e preocupações pós-coloniais pode ajudar a entender melhor como os agentes sociais tecem, por meio da articulação de signos e significados, relações de poder ao mesmo tempo em que promovem atos de identificação e de delimitação; e, como este processo contribui para a construção e desconstrução dos cenários de dominação e de contrapoder.pt
dc.description.abstractThis article discusses the topic of domination and counter-power using the example of some specific moments of the history of the Candomble. Based on reflections about recent theoretical anthropological and postcolonial perspectives on culture, identity and power, the author tries to show that the Candomble is a disputed terrain not only internally, but also with reference to its outer boundaries. As anthropological perceptions get closer to postcolonial concerns it helps us to get a better understanding of how social agents weave power relations through the articulation of signs and signifiers while promoting acts of identification and delimitation; and how this process contributes to the construction and deconstruction of the scenarios of domination and counter-power.en
dc.format.extent37-79
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade de Brasília (UnB), Instituto de Ciência Política
dc.relation.ispartofRevista Brasileira de Ciência Política
dc.sourceSciELO
dc.subjectresistência negrapt
dc.subjectcandomblépt
dc.subjectidentidadept
dc.subjectdiferençapt
dc.subjectteorias antropológicaspt
dc.subjectpós-colonialpt
dc.subjectBlack resistanceen
dc.subjectCandombleen
dc.subjectidentityen
dc.subjectdifferenceen
dc.subjectanthropologicalen
dc.subjectpostcolonial theoriesen
dc.titleDominação e contrapoder: o candomblé no fogo cruzado entre construções e desconstruções de diferença e significadopt
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Departamento de Sociologia e Antropologia
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Departamento de Sociologia e Antropologia
dc.identifier.doi10.1590/S0103-33522011000100003
dc.identifier.scieloS0103-33522011000100003
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Filosofia e Ciências, Maríliapt
dc.identifier.fileS0103-33522011000100003.pdf
dc.identifier.lattes4620683047125316
unesp.author.lattes4620683047125316[1]
unesp.author.orcid0000-0001-9876-0734[1]
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record