Steatosis of indeterminate cause in a pediatric group: is it a primary mitochondrial hepatopathy?

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-01-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Associação Paulista de Medicina (APM)

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

CONTEXTO E OBJETIVO: em crianças, a esteatose hepática pode se relacionar a erros inatos do metabolismo (EIMs) ou à doença hepática gordurosa não-alcoólica (DHGNA). O objetivo deste estudo foi avaliar e caracterizar esteatose de causa indeterminada por meio de análises morfológica e morfométrica em tecido hepático. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo transversal nos Departamentos de Patologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (FCM-Unicamp) e Faculdade de Medicina de Botucatu da Universidade Estadual Paulista (FMB-Unesp). MÉTODOS: Foram utilizadas 18 biópsias hepáticas consecutivas obtidas de 16 pacientes com idade variando de 3 meses a 12 anos e 9 meses, inseridas num banco de dados no período do estudo, que foram analisadas por microscopia óptica e eletrônica. Na microscopia eletrônica, foi realizada determinação da densidade mitocondrial e da área superficial média das mitocôndrias nos hepatócitos. Dez pacientes com idade variando de 1 a 14 anos foram usados como grupo controle. RESULTADOS: Foi detectada esteatose pura, não acompanhada por fibrose ou outra alteração histológica. Foi verificado que, na predominância de esteatose microvesicular, houve aumento significativo da área mitocondrial média. CONCLUSÃO: A esteatose microvesicular pode estar relacionada à hepatopatia mitocondrial primária, principalmente devido à redução na β-oxidação ou parcial estagnação da fosforilação oxidativa. Por essas razões, esta forma de esteatose (que não pode ser chamada de pura) possivelmente represente uma fase inicial no amplo espectro da DHGNA. Chamamos a atenção para casos de esteatose no grupo pediátrico com predomínio da forma microvesicular, uma vez que pode haver associação com desordens mitocondriais.

Resumo (inglês)

CONTEXT and OBJECTIVE: In children, hepatic steatosis may be related to inborn errors of metabolism (IEMs) or to non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD). The aim of this study was to assess and characterize steatosis of indeterminate cause through morphological and morphometric analysis of liver tissue. DESIGN and SETTING: Cross-sectional study at the Departments of Pathology of Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas (FCM-Unicamp) and Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (FMB-Unesp). METHODS: Eighteen consecutive liver biopsies obtained from 16 patients of ages ranging from 3 months to 12 years and nine months that were inserted in a database in the study period were analyzed using optical microscopy and transmission electron microscopy. Through electron microscopy, the mitochondrial density and mean mitochondrial surface area were determined in hepatocytes. Ten patients ranging in age from 1 to 14 years were used as a control group. RESULTS: Pure steatosis was detected, unaccompanied by fibrosis or any other histological alteration. Microvesicular steatosis predominated, with a significant increase in mean mitochondrial surface area. CONCLUSION: Microvesicular steatosis may be related to primary mitochondrial hepatopathy, especially due to reduction of β-oxidation or partial stagnation of oxidative phosphorylation. For these reasons, this form of steatosis (which should not be called pure) is likely to represent an initial stage in the broad spectrum of NAFLD. We have drawn attention to cases of steatosis in the pediatric group, in which the microvesicular form predominates, since this may be associated with mitochondrial disorders.

Descrição

Idioma

Inglês

Como citar

São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 129, n. 4, p. 217-223, 2011.

Itens relacionados

Financiadores