O voo que as grades (não) impedem: análise do projeto de vida dos alunos da EJA

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-04-04

Autores

Lopes, Renice Ribeiro

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Desenvolvemos esse estudo que se insere na linha de pesquisa “Educação: política, gestão e o sujeito contemporâneo”. O objetivo foi investigar o sentido da escola e do trabalho como projeto de vida na trajetória de alunos privados de liberdade de um sistema prisional de segurança máxima de Mato Grosso do Sul. Nessa perspectiva buscamos investigar quais elementos/ações podem ou não contribuir para o processo de desprisionalização e de formação do homem privado de liberdade. A pesquisa foi desenvolvida em uma abordagem qualitativa, e para a coleta de dados utilizamos a entrevista semiestruturada e questionários, abertos e fechados. Os participantes foram estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio que frequentavam a escola do presídio. Além desses estudantes privados de liberdade, participaram da pesquisa professores que ministravam aulas para esses estudantes, agentes penitenciários, psicóloga e assistente social, que prestam serviços no próprio presídio investigado. Tivemos também a participação de gestores escolares que atuam em escolas fora do presídio e de empresários de empresas situadas na cidade em que o presídio está localizado. Quanto aos resultados de nossas investigações, podemos considerar que o sentido da escola e do trabalho foi percebido como positivo, pelo fato de causar mudanças de atitudes, posturas e comportamento nos estudantes privados de liberdade. Tais mudanças foram percebidas pelos agentes penitenciários, assistente social e psicóloga. Quanto ao projeto de vida de tais estudantes, porém, a escola se mostrou pouco significante em alguns momentos, pois, antes de entrarem no presídio, a grande maioria pretendia casar e trabalhar, mas dentro do presídio o seu projeto de vida mudou, passaram a valorizar a escola, desejavam concluir seus estudos e trabalhar. Sobre seus projetos de vida para quando saíssem em liberdade, a maioria demonstrou o desejo de trabalhar, e, nesse caso, a escola passa a não fazer parte do projeto de vida da maioria desses estudantes. Quanto a elementos/ações que podem ou não contribuir para o processo de desprisionalização e de formação do homem privado de liberdade, grande parte dos participantes da pesquisa consideraram a educação e o trabalho como grandes aliados nesse processo, além do apoio familiar e da religião; e quanto aos aspectos que não contribuem para o processo de formação e desprisionalização, mencionaram a não efetivação das leis que amparam a ressocialização/reintegração social e as dificuldades pelas quais passam as pessoas que cumpriram pena em termos de acesso à educação e ao trabalho, bem como o preconceito social sofrido por elas devido a suas passagens pelos sistemas prisionais.
We developed this study as a part of the research line “Education: management, policies, and the contemporary subject”. The objective was to investigate the meaning of school and work as a life project in the career of students deprived of their liberty in a maximum security prison system in Mato Grosso do Sul. From this perspective, we seek to investigate which elements/actions may or may not contribute to the process of release from prison and the education of men deprived of their liberty. The research was developed with a qualitative approach and for data collection we used semi-structured interviews and open and closed questionnaires. The participants were students of the final years of Elementary School and High School who attended the prison school. In addition to these students deprived of their liberty, the following participants took part in the research: teachers who taught classes for these students, correctional officers, psychologist and social worker, who provide services in the investigated prison itself. We also had the participation of school managers who work in schools outside the prison, and businessmen from companies in the city where the prison is located. As for the results of our investigations, we can consider that the meaning of school and work were perceived as positive, as they cause changes in attitudes, postures and behavior in students deprived of their liberty; such changes were perceived by prison officers, social workers and psychologist, but regarding the life project of such students the school proved to be of little significance at times, because, before entering the prison, the vast majority intended to get married and work, but inside the prison the life project changed, as they began to value school, wanted to complete their studies and work. Regarding their life projects after their release from prison, most showed a desire to work, and in this case the school is no longer part of the life project of most of them. Regarding elements/actions that may or may not contribute to the release process and the education of men deprived of liberty, most of the research participants considered education and work to be great allies in this process, in addition to the support of family and religion; and regarding the aspects that do not contribute to the training and release process, they mentioned the non-enforcement of laws that support social resocialization/reintegration and the difficulties that people who have served time go through to access education and work, as well as the social prejudice faced by these people due to their passage through prison systems.

Descrição

Palavras-chave

Escola, Trabalho, Projeto de vida, School, Work, Life project

Como citar