Formalização em Epistemologia Genética e Digrafos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

One of the principal themes of genetic epistemology is the study of the psycho-genetic and historical-critical constitution of knowledge and its necessary structures. A main topic in this area is the relationship between abstract logical-mathematical structures and the epistemological-psychological structures of the epistemic subject. In genetic epistemology, formalizing and axiomatizing epistemological-psychological structures constitute one of the principal methods for showing the correlation between the two types of structures: the formalization of the epistemological-psychological structureresults in an axiomatic formal system which also expresses the abstractlogical-mathematical structure. In this context, it is interesting to note that some epistemological-psychological structures have been resistant to formalization and axiomatization, as in the case of the structure of concrete operational period groupings. Cases like these lead us to ask if there are general methods of formalizing that are consistent with the results and the general basis of genetic epistemology and genetic psychology, especially with regard to the claim that formalizing is a process, not a state, and that such general methods must therefore conform with the possibility of the continuous constitution of epistemological-psychological structures. In this paper we present some reflections, based on the general concepts of genetic epistemology and psychology and on the logical-mathematical structures of digraphs, on proposing a general method of formalization consistent with the results and the general basis of these two areas, including the possibility of the continuous constitution of epistemological-psychological structures.

Resumo (português)

Sendo uma das questões centrais da Epistemologia Genética o estudo da constituição dos conhecimentos e das estruturas a eles necessárias no sujeito epistêmico, isto é, no sujeito do conhecimento, seja do ponto de vista psicogenético, seja do ponto de vista histórico-crítico, um de seus temas principais é o da relação entre as estruturas epistêmico-psicológicas do sujeito epistêmico e as estruturas lógico-matemáticas abstratas. Em Epistemologia Genética, a formalização e a axiomatização das estruturas epistêmico-psicológicas constituem um dos principais métodos de se explicitar a correlação entre os dois tipos de estruturas, na medida em que a formalização de uma estrutura epistêmico-psicológica resulta em um sistema formal axiomático que também expressa uma estrutura abstrata lógico-matemática. Nesse contexto, é interessante notar que algumas estruturas epistêmico-psicológicas se mostraram resistentes à formalização e à axiomatização, como no caso das estruturas de Agrupamento do Período Operatório Concreto. Casos como esse nos levam a perguntar se, em Epistemologia e Psicologia Genéticas, existem métodos gerais de formalização condizentes com os resultados e pressupostos gerais dessas áreas, principalmente considerando que, segundo a Epistemologia Genética, a formalização é um processo e não um estado e, nesse sentido, tais métodos gerais devem ser consoantes à possibilidade de uma constituição contínua das estruturas epistêmico-psicológicas. Neste trabalho, apresentamos, a partir de conceitos gerais da Epistemologia e Psicologia Genéticas e das estruturas lógico-matemáticas de digrafos, algumas reflexões no sentido de propor um método geral de formalização condizente com os resultados e pressupostos gerais dessas áreas, inclusive com a possibilidade de constituição contínua das estruturas.

Descrição

Palavras-chave

Idioma

Português

Como citar

Cognitio, v. 14, n. 2, p. 255-272, 2013.

Itens relacionados

Financiadores