Irrigação do testículo em eqüino da raça Puro-Sangue Inglês

Nenhuma Miniatura disponível

Data

2000-01-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ)

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Estudamos o comportamento da artéria testicular e seus ramos, bem como o número e distribuição dos vasos penetrantes, em 30 pares de testículos de eqüinos da raça Puro-Sangue Inglês, adultos, mediante análise de esquemas de modelos obtidos pela corrosão após injeção de acetato de vinil. Verificamos que a artéria testicular apresenta 5 diferentes tipos de arranjos vasculares, isto é: a artéria testicular emite número variável de ramos, de 2 a 10 ramos mediais e de 3 a 11 ramos laterais (35 vezes - 58,4%); ou cede de 3 a 8 ramos adicionais e ao nível da metade de seu percurso, na borda livre do órgão, divide-se em um ramo medial e outro lateral (12 vezes - 20,0%); ou divide a irrigação do órgão com ramos denominados de complementares, 1 ramo (6 vezes - 10,0%) e 3 ramos (1 vez - 1,6%); ou ainda fornece os ramos medial e lateral, com predominância do lateral (3 vezes - 5,0%) ou do medial (3 vezes - 5,0%). Quanto à distribuição dos vasos penetrantes nos diferentes quadrantes, observamos que em mediana, por ordem, os testículos direitos apresentam o maior número de vasos penetrantes no quadrante craniomedial (13,0), seguido pelos quadrantes craniolateral (10,5), caudolateral (7,0) e caudomedial (6,5). Nos testículos esquerdos, também o quadrante craniomedial mostra o maior número de vasos penetrantes (12,5), seguido pelos quadrantes craniolateral (10,0), e com equivalência os quadrantes caudomedial e caudolateral (7,0). Anastomoses (8 vezes - 13,3%) foram localizadas todas na face ventral do órgão. Comparando o número de vasos penetrantes dos testículos direitos e esquerdos, verificamos que não existem diferenças estatisticamente significativas nos eqüinos da raça Puro-Sangue Inglês.

Resumo (inglês)

The testicular arteries, as well as the number of branches, and the distribution of its penetrating branches were studied in 30 pairs of adult equine testis of the English Thoroughbreds, provided from São Paulo Jockey Club, by using vascular corrosion models after injecting the vinyl acetate into the testicular arteries. In this species, the testicular arteries presented 5 distinct types of vascular arrangements, as follows: the testicular artery splits into a variable number of branches, from 2 to 10 medians, and 3 to 11 lateral branches (35 times - 58.4%); or it splits into 2 to 8 additional rami and at the half the way of its distance; at the free edge of the organ, it divides into two branches, one medial and the other, lateral one (12 times - 20.0%); or divides the organ irrigation into the so called complementary branches, that is, 1 branch (6 times - 10.0%) and 3 branches (1 time - 1.6%); or it gives the medial and lateral branches, with predominance of lateral one (3 times - 5.0%) or medial one (3 times - 5.0%). In respect to the penetrating into their different quadrants, its was observed that the medians, presented in order of their magnitude, the right testicles presented great number of penetrating arteries in the craniomedial (10.5), caudolateral (7.0) and caudomedial (6.5). For the testicles, the craniomedial quadrant was found with the largest number of penetrating arteries, followed by the craniolateral (10.0), and with equivalency to caudomedial and caudolateral (7.,0) quadrants. The anastomoses (8 times - 13.3%) were all found in the ventral face of the organ. By comparing the number of penetrating vessels of the right and left testis, no statistically significant differences were found, in relation to the English equine Thoroughbreds.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade de São Paulo, v. 37, n. 5, p. 00-00, 2000.

Itens relacionados

Financiadores