Efeito dos compostos fenólicos e lignina sobre a ação de β-glicosidase

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2016-04-15

Orientador

Gomes, Eleni
Ximenes, Eduardo de Aquino

Coorientador

Pós-graduação

Microbiologia - IBILCE

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Non-productive adsorption of cellulase and beta-glucosidase enzymes onto lignin is shown to be a limiting factor to enzymatic hydrolysis of lignocellulosic. This study evaluated the interaction of cellulases and beta-glucosidase from Trichoderma reesei (Cellic Ctec2) and Aspergillus niger (Novo 188) commercial cocktail with lignin preparations isolated from liquid hot water sugarcane bagasse by enzymatic (LDHE) and acid hydrolysis (LDHA). Furthermore, a glucose tolerant β-glucosidase was selected from the collection of working fungi of Laboratório de Bioquímica e Microbiologia (Ibilce/Unesp), effect of LDHE and liquid hot water pretreatment-derived phenolic compounds were evaluated. LDHA had higher adsorption capacity on enzymes than LDHE. At 45°C T. reesei enzymes bound to both LDHE and LDHA. Endoglucanase, beta-glucosidase and exoglucanase remained activities in the supernatant after incubation with LDHE were 28, 45 e 63%. Exoglucanase and betaglucosidase were completely adsorbed onto LDHA while endoglucanase activity remained in the supernatant was 14%. A. niger beta-glucosidase was less adsorption than enzymes from T. reesei, it maintained 94 and 48% of the activity in the presence of LDHA and LDHE. Purified beta-glucosidase from A. niger showed 89 and only 2% activity in the supernatant after incubation with LDHE LDHA, while beta-glucosidase from enzymatic cocktail showed 100 and 95% of the enzyme activity. The decrease of temperature to 30°C decreased non-productive adsorption of the enzymes onto LDHE. Endoglucanases, exoglucanases and beta-glucosidase from T. reesei showed 93%, 70% and 83% of the activity in the supernatant, while A. niger beta-glucosidase exhibited 98% of activity. Purified beta-glucosidase from A. niger and the enzyme from enzymatic cocktail weren’t adsorbed at 30°C. In the search for a beta-glucosidase with desirable properties to hydrolysis, T. indicae-seudaticae N31, A. fumigatus M.7.1, R. miehei GF3.3, L. ramosa GF1.5, L. corymbifera GF1.2 e R. pusillus fungi were evaluated for beta-glucosidase production and glucose tolerance. The fungal beta-glucosidase from L. ramosa GF1.5 showed the best results with 44.4% residual activity at 80 mM glucose and 6.4 IU/mL of beta-glucosidase. The fungus only produces a betaglucosidase with estimated molecular weight in 57 kDa, which was characterized with regard to optimum pH and temperature and pH and thermal stability, and then partially purified. The enzyme was strongly inhibited by phenolic compounds and inhibitors from liquid fraction of the liquid hot water pretreatment of sugarcane bagasse. The remaining activity was only 8.5% after 6h of incubation. However, the enzyme wasn’t absorbed onto LDHE, showing increase of up to 14% of the activity in the supernatant.

Resumo (português)

A adsorção não-produtiva das celulases e β-glicosidases à lignina tem sido considerada um fator limitante da hidrólise do material lignocelulósico. Esse trabalho avaliou a interação entre celulases e β-glicosidases dos coquetéis comerciais de Trichoderma reesei (Cellic Ctec2) e Aspergillus niger (Novo 188) com preparações de lignina isoladas por hidrólise enzimática (LDHE) e hidrólise ácida (LDHA) do bagaço de cana pré-tratado hidrotermicamente. Também foi selecionada uma β-glicosidase tolerante à inibição pela glicose a partir da coleção de fungos de trabalho do Laboratório de Bioquímica e Microbiologia Ibilce/Unesp e o efeito da LDHE e dos compostos fenólicos derivados do pré-tratamento hidrotérmico sobre a mesma foram avaliados. A LDHA apresentou maior capacidade de adsorção das enzimas do que LDHE. A 45°C todas as enzimas de T. reesei se ligaram a LDHE e a LDHA. As atividades residuais de endoglucanase, β-glicosidase e exoglucanase no sobrenante após a incubação com a LDHE foi de 28, 45 e 63%. Exoglucanase e β-glicosidase foram completamente adsorvidas a LDHA enquanto que a endoglucanase manteve 14% da atividade. A β- glicosidase de A.niger foi menos afetada mantendo 94 e 48% da atividade na presença de LDHE e LDHA. A β-glicosidase de A. niger purificada apresentou 89 e apenas 2% de atividade no sobrenadante quando incubada com LDHE e LDHA, contra 100 e 95% de atividade da enzima presente no coquetel. A diminuição da temperatura para 30°C provocou a redução da adsorção não-produtiva das enzimas à LDHE. Endoglucanases, exoglucanases e β-glicosidasesde de T. reesei apresentaram 93%, 70% e 83% da atividade no sobrenadante, enquanto a β-glicosidase de A. niger manteve 98%. A β- glicosidase de A. niger purificada e a enzima presente no coquetel não foram adsorvidas à 30°C. Na busca por uma β-glicosidase com características desejáveis à hidrólise, os fungos T. indicae-seudaticae N31, A. fumigatus M.7.1, R. miehei GF3.3, L. ramosa GF1.5, L. corymbifera GF1.2 e R. pusillus, foram avaliados com relação à produção de β-glicosidasese a tolerância dessas enzimas à glicose. A β-glicosidase do fungo L. ramosa GF1.5 apresentou os melhores resultados, com 44,4% de atividade residual em 80 mM de glicose e 6,4 U/mL de β-glicosidase. O fungo produziu apenas uma β- glicosidase, com massa molecular estimada em 57 kDa que foi caracterizada com relação ao pH e temperaturas ótimos e de estabilidade e, parcialmente purificada. A enzima foi fortemente inibida pelos compostos fenólicos e inibidores presentes na fração líquida do pré-tratamento hidrotérmico do bagaço de cana, mantendo apenas 8,5% da atividade após 6h de ensaio. Entretanto, ela não foi adsorvida à LDHE, apresentando aumento de até 14% da atividade no sobrenadante quando na presença deste composto aromático.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados