Cetoacidose diabética felina

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-01-17

Orientador

Melchert, Alessandra

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Medicina Veterinária - FMVZ

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Trabalho de conclusão de curso

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

A cetoacidose diabética é um quadro emergencial decorrente de graves complicações metabólicas da diabete mellitus. Gatos acometidos podem ou não ter recebido o diagnóstico prévio. O desenvolvimento da doença pode ocorrer por falta ou por resistência insulínica, agravados por estresse e doenças concomitantes. Os principais sinais clínicos são apatia, anorexia, vômitos, desidratação, poliúria e polidipsia. Os felinos ainda podem apresentar fraqueza muscular, postura plantígrada, odor cetônico e icterícia. É importante realizar o correto diagnóstico e se certificar da existência de doenças associadas. O diagnóstico é feito pela associação dos sinais clínicos com a presença de hiperglicemia persistente, cetonemia ou cetonúria e acidose metabólica. O tratamento é feito com reposição hídrica e eletrolítica, seguido de insulinoterapia. Doenças concomitantes precisam ser corretamente identificadas e tratadas. O prognóstico costuma ser bom mas depende do rápido diagnóstico e início do tratamento. Os casos costumam se solucionar em períodos de 24 a 48h mas demandam monitoração integral. O presente estudo objetivou realizar uma revisão bibliográfica sobre o assunto, levantando os pontos importantes da doença.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados