Caminhamento fotogramétrico utilizando o fluxo óptico filtrado

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Em certas condições, os sensores de orientação e posicionamento (INS e GPS) de um Sistema Móvel de Mapeamento Terrestre (SMMT) ficam indisponíveis por algum intervalo de tempo casionando a perda da orientação e do posicionamento das imagens capturadas neste intervalo. Neste trabalho, é proposta uma solução baseada apenas nas imagens sem a utilização de sensores ou informações externas às mesmas, através do fluxo óptico. Um sistema móvel com um par de vídeo câmaras, denominado Unidade Móvel de Mapeamento Digital (UMMD), foi utilizado para testar a metodologia proposta em uma via plana. As câmaras são fixadas em uma base com um afastamento entre as câmaras de 0,94m e paralelas ao eixo de deslocamento (Y). A velocidade do veículo é estimada, inicialmente, com base no fluxo óptico denso. Em seguida, a estimação da velocidade é melhorada após uma filtragem, que consiste em: utilizar os vetores que apresentam comportamento radial na metade inferior das imagens e que foram detectados pelo algoritmo de Canny, acrescida uma segunda etapa na estimação da velocidade com eliminação de erros grosseiros. Com a velocidade estimada e sabendo-se o tempo de amostragem do vídeo, o deslocamento de cada imagem é determinado e esta informação é utilizada como aproximação inicial para o posicionamento das câmaras. Os resultados mostraram que a velocidade estimada ficou próxima da velocidade verdadeira e a qualidade do ajustamento se mostrou razoável, considerando-se a não utilização de sensores externos e de pontos de apoio.
Under certain conditions the positioning and orientation sensors such as INS and GPS of a land-based mobile mapping system may fail for a certain time interval. The consequence is that the images captured during this time interval may be misoriented or even may have no orientation. This thesis proposes a solution to orient the images based only on image processing and a photogrammetric technique without any external sensors in order to overcome the lack of external orientation. A land-based mobile mapping system with a pair of video cameras and a GPS receiver was used to test the proposed methodology on an urban flat road. The video cameras were mounted on the roof of the vehicle with both optical axes parallel to the main road axis (Y). The methodology is based on the velocity estimation of the vehicle, which is done in two steps. Initially, the dense optical flow is computed then the velocity estimation is obtained through a filtering strategy that consists of using radial vectors in the low parts of the images. These radial vectors are detected by the Canny algorithm. The vehicle velocity is re-estimated after eliminating the optical flow outliers. With the reestimated velocity and with the video sampling time the spatial displacement of each image (with respect to the previous one of the sequence) is determined. The results show that the estimated velocity is pretty close to the true one and the quality of the least square adjustment is quite acceptable, considering that no external sensors were used.

Descrição

Palavras-chave

Cartografia, Fluxo óptico, Mobile mapping, Optical flow, Monocular velocity

Como citar

BARBOSA, Ricardo Luís. Caminhamento fotogramétrico utilizando o fluxo óptico filtrado. 2006. 118 f. Tese (doutorado) Universidade Estadual Paulista, Faculdadede Ciências e Tecnologia, 2006.