Migração e ocupações de maranhenses no sudeste do Pará: um estudo de caso a partir da moderna mineração em Parauapebas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-08-15

Autores

Cruz, Leonardo de Oliveira [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo desta tese é analisar as trajetórias dos migrantes maranhenses para Parauapebas/PA, no sudeste do Pará, e o seu processo de ocupação da cidade, considerando a moderna mineração desenvolvida no município através do Projeto Ferro Carajás como vetor de atração. A partir das trajetórias de maranhenses que ancoraram nas imediações do empreendimento, em busca de oportunidades geradas pela mineração, se formou o primeiro núcleo urbano da cidade, denominado de Vila Rio Verde, na década de 1980, período em que ainda estava localizado nos limites do município de Marabá. Portanto, busco compreender o papel dos maranhenses na formação da cidade, a partir de espaços precários ocupados por estes migrantes, assim como a forma como se deu sua ancoragem no território. A hipótese constitui-se de que Parauapebas surgiu das margens urbanas ocupadas pelo migrante maranhense, mão de obra que não se fez provisória, mas permanente, que em um processo de povoamento, passou a reivindicar o seu lugar, contribuindo, assim, para a criação de um novo município no sudeste do Pará, em um movimento contínuo do direito à cidade enquanto direito de estar ali e de ali levar uma vida urbana. Neste sentido, a metodologia empregada consistiu numa abordagem das migrações internas no contexto das expansão econômica para a Amazônia e na perspectiva da Antropologia Urbana quanto aos conceitos de “Invasão”, “Ocupação” e Instalação” de Michel Agier ao interpretar os movimentos e fluxos migratórios que fazem a cidade. As técnicas usadas foram entrevistas, conversas informais, escuta das histórias de vida, levantamento bibliográfico e fotográfico. Também foram usadas informações estatísticas de órgãos oficiais e estudos locais para contextualizar Parauapebas em suas características socioeconômicas e demográficas. Desse modo, pudemos ter uma compreensão da dinâmica de uma cidade mineradora, ao mesmo tempo em que, pelos ombros de nossos interlocutores, analisamos o processo de fazer-cidade considerando os maranhenses, seus deslocamentos e ocupação da cidade.
The objective of this thesis is to analyze the trajectories of migrants from Maranhão, a state located in the Northeast region of Brazil, to Parauapebas, a city located in the Southeast of the Brazilian state of Pará, as well as the process of occupation of the city by them, considering the modern mining activity developed by the Ferro Carajás Project as an attraction vector. From the anchoring of the migrants from Maranhão at the surroundings of the mining enterprise, looking for opportunities generated by mining activity, the first urban nucleus of the city emerged, called Vila Rio Verde, in the 1980s, a period in which it was still located within the limits of the municipality of Marabá. I therefore seek to understand the role of migrants from Maranhão, from the precarious spaces occupied by them, in the formation of the city, as well as the way in which they anchored in the territory. The research hypothesis is that the city of Parauapebas emerged from the urban margins occupied by those migrants, a labor force that has not made itself provisional, but permanent instead. In the process of settlement, they began to claim their place, thus contributing to the creation of Parauapebas as a new municipality in southeastern Pará, in a continuous movement for their right to the city, understood as a right to be there and there to lead an urban life. In this sense, the methodology used consisted of an approach to internal migration in the context of economic expansion to the Amazon and from the perspective of Urban Anthropology regarding the concepts of "Invasion", "Occupation" and Installation" by Michel Agier when interpreting migratory movements and flows that make the city. The research techniques implemented were interviews, informal conversations, listening to life histories, and bibliographic and photographic surveys. Statistical data from official bodies and local studies were also used for socioeconomic and demographic contextualization of Parauapebas. In this way, we were able to understand the dynamics of a mining town at the same time that, through the shoulders of our interlocutors, we analyzed the making-city process considering the people from Maranhão, their displacement, and city occupation.

Descrição

Palavras-chave

Migração interna, Reassentamento involuntário, Fronteira, Redes sociais, Urbanização na Amazônia, Fluxo migratório interestadual, Migration, internal, Involuntary resettlement, Frontier, Social networks in migration, Urbanization in the Amazon, Interstate migratory flow

Como citar

CRUZ, Leonardo de Oliveira. Migração e ocupações de maranhenses no sudeste do Pará: um estudo de caso a partir da moderna mineração em Parauapebas. Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2022.