Juventude, mídias sonoras e cotidiano escolar: um estudo em escolas de periferia

dc.contributor.advisorSalles, Leila Maria Ferreira [UNESP]
dc.contributor.authorVale, Fernanda Feitosa do [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2014-06-11T19:24:18Z
dc.date.available2014-06-11T19:24:18Z
dc.date.issued2010-09-03
dc.description.abstractA pesquisa teve por objetivo analisar os significados da música na vida dos jovens de periferia, e verificar como os códigos juvenis associados às vivências musicais se fazem presentes na instituição escolar. O estudo foi desenvolvido em duas escolas de periferia situadas no município de Rio Claro – SP. No trabalho de campo distribuímos um questionário para as turmas do 1º e 2º ano do ensino médio matutino das duas escolas, com o objetivo de identificarmos diferentes grupos de jovens e os respectivos estilos musicais inscritos na sociabilidade de cada turma. Na primeira leitura dos dados, verificamos uma multiplicidade de estilos musicais na maioria dos questionários, e também alguns jovens que assinalaram apenas 1 estilo musical. A partir disto, construímos um questionário mais pormenorizado, e solicitamos aos alunos que indicassem os estilos musicais preferidos e aqueles de não afinidade. Responderam este questionário 316 jovens com idades entre 14 e 19 anos, matriculados nas duas escolas. Os estilos musicais mais citados foram o samba/pagode, dance/eletrônica e o funk. O que problematiza a concepção de que os jovens de periferia estariam fixados nos estilos musicais rap e/ou funk. Os dados foram analisados quantitativamente, mas tendo como referência à hipótese de que era possível identificar grupos de jovens com um ou mais estilo musical percebidos como compatíveis entre si, e incompatíveis frente a outros grupos. Entretanto, diante da heterogeneidade presente nos questionários, não nos foi possível fazer estas delimitações. Assim, entrevistamos individualmente jovens que assinalaram muitos estilos, e aqueles que marcaram apenas 1. No total foram entrevistados 16 adolescentes 8 meninas e 8 meninos. Para exame dos depoimentos utilizamos a técnica análise de conteúdo. Na análise das entrevistas verificamos que a música se inscreve nas sociabilidades...pt
dc.description.abstractThe research aimed to analyze the meanings of music in the lives of young people from poor neighborhoods and to know how youth‟s codes associated to musical experiences are presenting intro educational institutions.The study was developed in two schools located on the outskirts of Rio Claro - SP. During the fieldwork, a questionnaire was applied to students from first and second year of high school classes in both schools. We intended to identify different groups of young people and their musical styles involucred to the sociability of each group. In the first analisys of data, we found a multitude of musical styles in most of the questionnaires, and also some young people who reported only one musical style. From this point, we elaborated a more detailed questionnaire and we asked students what are their preferred musical styles and what are not. This questionnaire was applied to 316 students aged between 14 and 19 years, from those two schools. The musical styles most often cited were samba / pagode, dance / electronic music and funk. These questions bring us the idea that young people in outlying areas would be set in rap music style and / or funk. The data was analyzed quantitatively, but with reference to the hypothesis that it was possible to identify groups of young people with one or more musical style perceived as mutually compatible, and incompatible compared to other groups. However, given the heterogeneity present in the questionnaires, we were unable to make these boundaries. Thus, young people interviewed individually majority reported many styles, and there was whose eported just one. A total of 16 adolescents were interviewed, eight girls and eight boys. To analyze these interviews we used the technique of content analysis. We found that the music fits the sociability of youth groups, but such registration does not always emerge to the visible plan set in youth styles... (Complete abstract click electronic access below)en
dc.format.extent170 f. : il., tabs.
dc.identifier.aleph000625750
dc.identifier.capes33004137064P2
dc.identifier.citationVALE, Fernanda Feitosa do. Juventude, mídias sonoras e cotidiano escolar: um estudo em escolas de periferia. 2010. 170 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2010.
dc.identifier.filevale_ff_me_rcla.pdf
dc.identifier.lattes7864828747687778
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/90068
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.sourceAleph
dc.subjectEducaçãopt
dc.subjectJuventudept
dc.subjectJovenspt
dc.subjectMúsicapt
dc.subjectEscolapt
dc.subjectPeriferias urbanaspt
dc.subjectVivência musicalpt
dc.subjectYouthen
dc.subjectPeripheryen
dc.subjectMusicen
dc.subjectSchoolen
dc.titleJuventude, mídias sonoras e cotidiano escolar: um estudo em escolas de periferiapt
dc.typeDissertação de mestrado
unesp.author.lattes7864828747687778
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Biociências, Rio Claropt
unesp.graduateProgramEducação - IBRCpt
unesp.knowledgeAreaEducaçãopt
unesp.researchAreaCultura e subjetividade das organizações educacionaispt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
vale_ff_me_rcla.pdf
Tamanho:
980.59 KB
Formato:
Adobe Portable Document Format