Caracterização de isolados de ceratocystis sp., avaliação de resistência clonal de eucalipto e sensibilidade deste fungo a diferentes fungicidas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-07-18

Autores

Firmino, Ana Carolina [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O gênero Ceratocystis engloba diversas espécies amplamente distribuídas pelo mundo. No Brasil ocorrem relatos da existência de três espécies: Ceratocystis cacaofunesta, C. paradoxa e C. fimbriata, sendo esta última a de maior relevância e causadora de doenças em muitas plantas lenhosas e em algumas herbáceas de grande importância econômica. Diante desta situação e da alta incidência deste patógeno na cultura do eucalipto, o presente trabalho teve como objetivos: (i) caracterizar aspectos patogênicos, culturais, morfológicos, enzimáticos e genéticos de isolados de Ceratocystis sp. coletados de diferentes hospedeiros; (ii) estudar a reação de diferentes genótipos de eucalipto à inoculação de isolados de Ceratocystis sp., com objetivo de se encontrar uma fonte de resistência á murcha-de-ceratocistis; (iii) verificar a sensibilidade a diferentes fungicidas “in vitro” e “in vivo” deste fungo. Nos testes de patogenicidade todos os isolados de Ceratocystis trabalhados foram patogênicos aos seus hospedeiros originais. Foi observada ainda a ocorrência de patogenicidade cruzada. Esta patogenicidade foi comprovada por meio de análises realizadas em microscópio eletrônico de varredura, onde foi constado que o isolado de eucalipto, cacau, manga, teca e atemóia foram capazes de colonizar, se desenvolver e se reproduzir nos vasos de xilema de plantas de eucalipto. Nos experimentos de caracterização morfológica, os isolados foram agrupados segundo comprimento médio do rostro do peritécio, podendo esta característica ser usada como ferramenta para diferenciar isolados de Ceratocystis de cacau dos outros isolados de eucalipto, manga, teca e atemóia. Ainda nestes experimentos, foi notada a produção de conídios doliformes em alguns isolados de eucalitpto
The genus Ceratocystis includes several species widely distributed all over the world. In Brazil, there are reports of threes species: Ceratocystis cacaofunesta, C. paradoxa and C. fimbriata, the latter being most relevant and causer of diseases in a large number of woody plants and in some herbaceous plants of great economic importance. Based on this situation and on the high incidence of this pathogen in eucalyptus culture, this study aimed to: (i) characterize pathogenic, cultural, morphological, enzymatic and genetic aspects of Ceratocystis sp. isolates collected from different hosts; (ii) study the reaction of different eucalyptus genotypes to the inoculation of Ceratocystis sp. isolates, in order to find a source of resistance to ceratocystis wilt; (iii) verify the sensitivity of this fungus to different fungicides “in vitro” and “in vivo”. In the pathogenicity tests, all studied Ceratocystis isolates were pathogenic to their original hosts. Cross pathogenicity was also observed. This pathogenicity was proved by means of analyses under scanning electron microscope, which indicated that eucalyptus, cacao, mango, teak and atemoya isolates were able to colonize, grow and reproduce in the xylem of eucalyptus plants. In the experiments for morphological characterization, the isolates were grouped according to the mean length of the rostrum of the perithecium, and this trait may be used as a tool to differentiate Ceratocystis and cacao isolates from other eucalyptus, mango, teak and atemoya isolates. In these same experiments, the production of doliform conidia was noted in some eucalyptus isolates. The differentiation of Ceratocystis and cacao isolates from the other studied isolates was also possible based on the growth rate

Descrição

Palavras-chave

Cacau, Manga (Fruta) - Cultivo, Teca (Arvore), Eucalipto, Atemóia, Ceratocystis, Eucalyptus, Cacao

Como citar

FIRMINO, Ana Carolina. Caracterização de isolados de ceratocystis sp., avaliação de resistência clonal de eucalipto e sensibilidade deste fungo a diferentes fungicidas. 2011. v, 102 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, 2011.