Diversidade filogenética e riqueza da anurofauna nas áreas de restinga do leste brasileiro

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-03-01

Autores

Lopes, Bruna da Silva

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A biogeografia busca estabelecer padrões que justifiquem as configurações espaciais dos seres vivos e pode ser usado como alternativa para a conservação de espécies. As restingas, ambientes ocupados por anfíbios anuros, possuem cobertura vegetal em mosaico em praias, cordões arenosos, dunas, e formações florestais. Assim sendo, nosso objetivo é caracterizar a diversidade filogenética e a riqueza de espécies de anuros das restingas da costa atlântica brasileira com base no tamanho do território, clima e posição geográfica (latitude) e variáveis bioclimáticas. Dados de espécies alojadas em coleções herpetológicas brasileiras tiveram sua distribuição relacionada com dados climáticos retirados da plataforma WorldClim. A Análise de Componente Principal (PCA) forneceu dados em um eixo de coordenadas formado pelos componentes principais (PC) e, para para testar a influência das variáveis preditoras na riqueza de espécies e na diversidade filogenética (PSV), utilizamos Modelos Lineares Generalizados (GLM). Para a análise da variação na estrutura filogenética entre as restingas, foi utilizado o método de coordenadas principais da estrutura filogenética (PCPS). Os três primeiros componentes principais (PCs) das variáveis climáticas corresponderam por 96,69% da proporção acumulada (temperatura média anual, precipitação anual e precipitação no quarto mais seco). A regressão entre a latitude e as outras variáveis preditoras demonstrou uma forte relação entre latitude e PC1 (89,2%). Para PSV, modelo que inclui todas as variáveis preditoras M10, descreveu 46,02% da variação na diversidade filogenética, onde latitude, área, PC1 e PC3 possuem relação significativa, demonstrando influência da temperatura e precipitação do quarto do ano mais seco. Para riqueza, houve relação significativa com a área (M11; p = 0,028; R2 = 13,80%). As análises de PCPS demonstraram que PCPS 1 está relacionado aos nós basais, com a presença da família Microhylidae, apresentando influência positiva na diversidade filogenética. A influência da latitude constitui um dos padrões biogeográficos mais bem conhecidos e explorados na ecologia. A presença de determinadas famílias podem justificar o comportamento antagônico entre PSV e riqueza com relação à latitude, demonstrando maior riqueza em direção à região sudeste, porém, maior diversidade filogenética ao norte. Diferentes condições climáticas e de predomínio de fitofisionomias influenciam a distribuição espacial de anuros. De modo geral, as variáveis bioclimáticas não figuraram como os principais fatores responsáveis para explicar a variação da riqueza e diversidade filogenética entre as diferentes comunidades estudadas, devendo considerar aspectos ecológicos em escalas locais e a biogeografia histórica.O grau de diversidade filogenética será útil para estudos futuros de conservação, pois está diretamente ligado à qualidade e estabilidade de uma determinada área.

Descrição

Palavras-chave

Biogeografia, Anuros, Ecologia, Biodiversidade, Gradiente latitudinal, Variáveis climáticas

Como citar