Trabalho infanto-juvenil: as representações da pedagogia do trabalho

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2012-02-07

Orientador

Constantino, Elizabeth Piemonte

Coorientador

Pós-graduação

Psicologia - FCLAS

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

A presente pesquisa teve por objetivo compreender a trajetória do trabalho infanto-juvenil na sociedade brasileira durante os últimos 150 anos. De modo específico, porém, focalizou sua atenção ao entendimento da construção da crença social, que atribui ao trabalho infantojuvenil um caráter pedagógico, capaz de promover o desenvolvimento de crianças e adolescentes, principalmente, aqueles provenientes das camadas mais pobres da população brasileira. Uma vez estabelecido este percurso e delimitado o contexto histórico e social que o consolidou, pode-se argumentar que existe na sociedade brasileira contemporânea, uma representação social, a qual se refere à utilização da mão-de-obra de crianças e adolescentes como algo capaz de produzir benefícios aos trabalhadores mirins e ao conjunto social em que estão. As concepções e práticas contidas nesta construção histórico-social exercem importante influência sobre a sociedade civil e os diversos atores sociais, cidadãos que em virtude das funções que desempenham, estão em contato com crianças e adolescentes, muitos deles vítimas de exploração. Neste ínterim, a representação social pesquisada e ora designada como pedagogia do trabalho exibe a concepção de que o trabalho é capaz de, pedagogicamente, implicar crianças e adolescentes com as responsabilidades da vida, com a valorização do dinheiro, com a família, com o contexto social, impedindo inclusive o envolvimento com a criminalidade e os vícios. Esta concepção denota sempre um corte sócio-econômico pautado nas divisões de classes existentes na sociedade brasileira, uma vez que a bibliografia abordada aponta que, em virtude da classe social em que estão inseridos, as crianças...

Resumo (inglês)

This research had the main aim of realizing the trajectory of Children and Youth work in the Brazilian Society during the last 150 years. In a specific way the focus was on the construction understanding of social believe that gives to the children and youth a pedagogical character able to promote the development of children and adolescents, mainly those from the poorest level of Brazilian population. Once this path is established and delimited the historical and social context that consolidated it, it can be argued that there is a social representation in the contemporary Brazilian Society which refers to the use of the children and youth work as something able to produce benefits to the kid workers and to the social set they are in. The conceptions and the content practices in this social historical they have an important influence in the civil society and several social actors, citizens who get contact with children and adolescents due to their functions perform, and most of these children and adolescents are victims of exploration. Meanwhile the researched social representation and here named as pedagogy of work shows the conception that the work is able to pedagogically regards children and adolescents with life, responsibilities, money worth, family, social context, inclusive avoiding their involvement with crime and addicts. This conceptions always denotes an economical social cut on the existing division classes in the Brazilian Society, as the bibliography adopted points at, due to the social... (Complete abstract click electronic access below)

Descrição

Idioma

Português

Como citar

ALVES, Cleber Consoni. Trabalho infanto-juvenil: as representações da pedagogia do trabalho. 2012. 164 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2012.

Itens relacionados

Financiadores