Os menores são mais agressivos: o comportamento agonístico de Leptuca uruguayensis em resposta a sobreposição territorial com competidores heteroespecíficos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-01-25

Orientador

Costa, Tânia Marcia

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Ciências Biológicas - CLP

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Trabalho de conclusão de curso

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Climate change has been changing several environmental conditions and consequently many organisms are expanding their distribution limits towards the poles. In addition to species, some habitats have also undergone changes. For example, mangroves are expected to lose 10% to 30% of their total areas by 2100 due to rising sea levels and anthropic action. The fiddler crabs are one of the species that inhabit mangroves and occupy well established areas that have been undergoing changes in distribution and density due to the reduction of the mangrove and the latitudinal expansion of new species, forcing several species to cohabit with a smaller territorial space and overlap their territories. As the territorial overlap will involve species of different sizes, the combat capacity may be decisive in assurance resources and, consequently, in survival. In this work, we evaluated whether the increase in density and size of competitors (heterospecific) alters the agonistic behavior of Leptuca uruguayensis. Through a laboratory experiment, we found that L. uruguayensis exhibits different levels of agonistic behavior according to the size of its opponent and the density at which it was exposed. Our results indicate that the increase in density may cause an increase in the agonistic behavior of L. uruguayensis and in greater intensity with species of similar size. Therefore, in a scenario of territorial expansion of fiddler crabs due to climate changes, it is expected that species of similar size represent a greater threat to the populations of L. uruguayensis.

Resumo (português)

As mudanças do clima vêm alterando diversas condições ambientais e como consequência muitos organismos estão expandindo seus limites de distribuição em direção aos polos. Além das espécies, alguns habitats também vêm sofrendo alterações. É previsto, por exemplo, que os manguezais percam de 10% a 30% de suas áreas totais até 2100 devido ao aumento do nível do mar e pela ação antrópica. Os caranguejos-chama-maré são uma das espécies que habitam os manguezais e que ocupam zonas bem estabelecidas que vêm sofrendo alterações na distribuição e densidade devido ao adelgaçamento do manguezal e expansão latitudinal de novas espécies, obrigando que diversas espécies coabitem um menor espaço territorial e sobreponham seus territórios. Como a sobreposição territorial envolverá espécies de diferentes tamanhos, a capacidade de combate poderá ser determinante na garantia de recursos e consequentemente a sobrevivência. Nesse trabalho, nós avaliamos se o aumento da densidade e o tamanho dos competidores (heteroespecíficos) altera o comportamento agonístico de Leptuca uruguayensis. Por meio de um experimento laboratorial nós descobrimos que L. uruguayensis apresenta diferentes níveis de comportamentos agonísticos de acordo com o tamanho do seu oponente e a densidade na qual foi exposta. Nossos resultados indicam que o aumento da densidade poderá ocasionar o aumento do comportamento agonístico de L. uruguayensis e em maior intensidade com as espécies de tamanho similares. Portanto, em um cenário de expansão territorial dos chama-marés em função das mudanças do clima, espera-se que espécies de tamanho similares representem uma maior ameaça para as populações de L. uruguayensis.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados