Desenvolvimento de metodologia para estimar o banco de sementes e prever a infestação de plantas daninhas em áreas agrícolas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-02-26

Orientador

Velini, Edivaldo Domingues

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

O manejo de plantas daninhas nas culturas agrícolas apresenta grande importância para assegurar os rendimentos e retorno econômico das lavouras aos agricultores. Os conhecimentos da distribuição espacial, composição de espécies, características de dormência e densidade de sementes no solo podem contribuir para a definição do manejo de plantas daninhas a ser adotado em determinada lavoura, e na elaboração de estimativas e modelos de dinâmica de emergência e, para tanto, ainda devem ser desenvolvidas metodologias adequadas e que proporcionem maior precisão nas estimativas. Desse modo, esse trabalho visou o desenvolvimento de metodologias para avaliação do banco de sementes do solo e predição de infestações em áreas agrícolas, através do comportamento em relação ao número de amostras de solo, fluxos de emergência, número de plântulas emergidas e total de espécies presentes, e para a espécie Gamochaeta coarctata (Willd.) Kerguélen. Os experimentos foram conduzidos em condições de campo e de casa de vegetação durante os anos de 2019 e 2020. Nas condições de campo, foram coletadas respectivamente, 200 e 100 amostras de solo na profundidade 0-10 cm em duas áreas agrícolas, para estimativas dos fluxos de germinação do banco de sementes. As amostras foram constituídas de um quilograma de solo, alocadas em bandejas de alumínio de 1150mL. As plântulas emergentes foram identificadas e contabilizadas em casa de vegetação. Em intervalos de cerca de 30 dias, após cada avaliação as amostras foram revolvidas e um novo fluxo era estimulado. As análises estatísticas consistiram na realização de 30 simulações a partir dos dados de amostragem estimando-se os parâmetros de média, desvio padrão, intervalos mínimos e máximos, variação de erro padrão à 5% (Δ5%), número mínimo de amostras e esforço amostral para estimativa do potencial de infestação do número de espécies identificadas em cada área. O segundo experimento consistiu na avaliação da flora infestante nas respectivas áreas de coleta e, para tanto, foram avaliados 30 e 20 pontos amostrais, identificando e contabilizando as espécies presentes dentro de amostradores quadrados de 0,5m de lado. Os resultados foram expressos em densidades relativa e absoluta e a correlação de ambas as formas de avaliação foram estabelecidas por meio do coeficiente de determinação e índice de Spearman Rank. O número de amostras é diferenciado conforme a variável analisada, nível de precisão desejada e número de avaliações. O número de avaliações incrementa a precisão nas estimativas em maior proporção comparado ao número de amostras. Estimativas do número de espécies requerem menor número de amostras, para um mesmo nível de precisão e número de avaliação. O número de espécies apresenta maior precisão, maior estabilidade e menor variabilidade em relação ao número de plântulas. Há grande correspondência, acima de 68%, entre avaliações da flora infestante e o banco de sementes. É possível estimar através de amostras de solo o potencial de infestação e principais espécies em termos de abundância presentes no banco de sementes do solo.

Resumo (inglês)

Weed management is important to ensure crop yields and profitability to farmers. Understanding spatial distribution, species composition, dormancy and seed density in soils can contribute on weed programs to be adopted, and development of prediction indices and models of emergence dynamics, however evaluation methodologies should be suitable and to provide greater precision in the estimates. Thereby, the aim of the study was to develop a methodology for assessing weed seed bank and predict infestation in agricultural areas, through the behavior in relation to the number of soil samples, emergence flows, number of seedlings emerged and the total number of species present, and for the specie Gamochaeta coarctata (Willd.) Kerguélen. The first experiment was conducted in field and greenhouse during 2019 and 2020. For this, 200 and 100 samples were collected in 0-10 cm depth, to estimate seed bank germination fluxes. The samples consisted of one kilogram of soil, placed in 1150 mL aluminum trays. Seedling emerged were identified and counted in greenhouse, about every 30 days, after evaluation samples were turned and a new flow was promoted. The statistical analyzes consisted in 30 simulations from sampling observed data, estimating mean, standard deviation, minimum and maximum intervals, Δ5%, minimum number of samples and sampling effort to infestation potential and species number. The second experiment was carried out in field where flora was assessed in each respective areas. Samples from 30 and 20 points were evaluated, identifying and counting weed species inside 0,5 m side iron squares. Statistical analyzes were demonstrated in relative and absolute density and correlation between weed flora and weed seed bank was expressed by determination coefficient and Spearman Rank. Samples number were influenced by analyzed variable, desired precision level, and evaluation number. Evaluation number increase the precision in higher proportion than samples number. Species number estimates require fewer samples, for the same precision level and evaluation number. Species number has a higher precision, stability, and lower variability in comparison to seedlings number. There is higher correlation, above 68%, between weed flora evaluation and weed seed bank. It is possible to estimate from soil samples the potential of infestation and abundant species occurring in seed bank.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados