Genetics of anthracnose panel canker disease resistance and its relationship with yield and growth characters in half-sib progenies of rubber tree (Hevea brasiliensis)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

1999-12-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira de Genética

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Estudos genéticos da relação da resistência da antracnose do painel, caracteres da produção e vigor da seringueira [Hevea brasiliensis (Willd. ex. Adr. de Juss.) Muell-Arg] foram conduzidos em 18 progenies de meios-irmãos na Estação Experimental de Pindorama, Estado de São Paulo. Os resultados obtidos mostraram diferenças genéticas significativas entre progenies para a maioria dos caracteres estudados. Os componentes genéticos da variância contribuíram com 3,37% da variância fenotípica para área infectada, 6,07% para comprimento de estrias, ambos causados pela anthracnose, 12,74% para produção, 12,13% para perímetro do caule, 19,82% para espessura de casca virgem e 3,58% para número total de vasos laticíferos. As herdabilidades no sentido restrito para os caracteres acima foram: 13,45%, 24,30%, 50,97%, 48,52%, 79,30% e 14,30%, respectivamente. Correlações significativas não foram encontradas entre antracnose do painel e caracteres da produção e perímetro do caule. A distribuição de freqüência de antracnose sugere que o caráter é poligênico. A seleção das três melhores progênies resultaria em um ganho genético para antracnose de 12,87% e 24,24% para área infectada e comprimento das estrias, respectivamente. A seleção dos cinco melhores indivíduos dentre os 50 indivíduos de cada progênie, para ambos os caracteres, resultaria em ganho genético de 9,47% e 24,62% com ganho total de 22,34% e 48,87%, respectivamente.

Resumo (inglês)

Rubber tree [Hevea brasiliensis (Willd. ex Adr. de Juss.) Muell-Arg] anthracnose panel canker disease resistance, caused by Colletotrichum gloeosporioides (Penz.) Sacc., and growth and yield characters were assessed at three years old in the nursery, in 18 half-sib progenies. There were highly significant (P < 0.01) genetic differences among progenies for most characters. The genetic component of variance accounted for 3.37, 6.07, 12.74, 12.13, 19.82 and 3.58% of the phenotypic variance for anthracnose-infected area, anthracnose lesion stripe length, yield, girth, virgin bark thickness and total number of latex vessel rings, respectively. Narrow-sense heritability estimates for the above characters were 13.45, 24.30, 50.97, 48.52, 79.30 and 14.30%, respectively. No significant genetic correlations were found among anthracnose panel canker resistance, yield and growth characters. The frequency distribution of anthracnose-infected area and anthracnose lesion stripe length suggests polygenic control. Selecting the best three progenies out of 18 progenies would result in a genetic gain of 12.87 and 24.24% for infected area and lesion stripe length, respectively. The best five selected individuals out of 50 individuals within each progeny would result in a genetic gain of 9.47 and 24.62%, with a total gain of 22.34 and 48.87% for these two characters, respectively.

Descrição

Palavras-chave

Idioma

Inglês

Como citar

Genetics and Molecular Biology. Sociedade Brasileira de Genética, v. 22, n. 4, p. 583-589, 1999.

Itens relacionados