Identificação perceptivo-auditiva de contrastes obstruintes por crianças com e sem transtorno fonológico

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-07-29

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: Embora o Transtorno Fonológico (TF) não apresente uma etiologia definida, alguns estudos têm buscado identificar fatores que possam explicar a ocorrência desta alteração. Dentre esses fatores, destacam-se aqueles relacionados ao domínio perceptivo-auditivo, seja relativo ao processamento auditivo, seja relativo ao desempenho das crianças em tarefas de discriminação. Poucos são os estudos relacionando a ocorrência do TF com a tarefa de identificação perceptivo-auditiva de fonemas. Objetivo: Investigar o desempenho perceptivo-auditivo em crianças com e sem TF em uma tarefa de identificação perceptivo-auditiva entre as obstruintes, comparando a acurácia, o tempo de reação (TR) e o padrão de erro, bem como verificar se o desempenho perceptivo-auditivo é dependente da classe fônica. Espera-se que o desempenho das crianças com TF seja menos acurado e mais laborioso comparativamente ao desempenho das crianças com desenvolvimento típico e, ainda, que haja diferenças entre acurácia, TR e padrão de erros entre as classes fônicas. Metodologia: Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) sob o protocolo nº 67549317.5.0000.5406. Foram selecionadas 62 crianças, sendo 41 com diagnóstico de transtorno fonológico e 21 com desenvolvimento fonológico típico, de 4 a 9 anos de idade, pareadas entre si de acordo com gênero e idade. O estímulo utilizado no experimento consistiu em gravações típicas de palavras familiares que constituem pares mínimos, contrastando os fonemas fricativos e oclusivos. O estímulo acústico foi apresentado às crianças via auditiva de forma binaural e elas precisaram escolher e indicar qual a gravura correspondente ao estímulo acústico apresentado, dentre duas possibilidades dispostas na tela de um computador. Tanto a acurácia quanto o TR das crianças foram controlados pelo software PERCEVAL. Uma análise estatística foi conduzida para verificar uma possível diferença entre os grupos no tocante à acurácia perceptivo-auditiva e ao tempo de reação, bem como uma diferença entre o padrão de erro. Resultados: Quanto à porcentagem de acerto, a ANOVA de medidas repetidas mostrou efeito significante para grupo, mas não para classe e interação entre grupo e classe. Na porcentagem de erros, não foram encontrados efeitos significantes para grupo, classe e interação entre grupo e classe. Na análise do TR dos acertos, não houve efeito significante para grupo e nem classe, mas houve significância para interação entre grupo e classe. O teste post hoc de Fisher mostrou diferença do TR entre as classes apenas para o grupo de crianças com TF. Já para o TR dos erros, não houve efeito significante grupo, classe e interação entre grupo e classe. Na análise do padrão de erros, não foi observado efeito significante para classe e nem para interação entre classe e tipo de erro, mas houve efeito significante para tipo de erro, que, posteriormente, com o teste Pos Hoc de Bonneferroni, observou-se que erros de ponto articulatório se diferenciam de erros de vozeamento e vozeamento + ponto articulatório, por serem os mais frequentes. Conclusão: Crianças com TF apresentam pior acurácia quando comparadas às crianças com desenvolvimento fonológico típico e, ainda, maior tempo de resposta nos acertos para a classe das oclusivas em tarefa de identificação perceptivo-auditiva de contrastes obstruintes. Pistas acústicas relativas ao ponto articulatório das oclusivas parecem ter um papel fundamental na identificação dos contrastes oclusivos.
Introduction: Although Phonological Disorder (PD) does not have a well-defined etiology, some studies have sought to identify factors that may explain the occurrence of this disorder. Among these factors, those regarding the auditory-perceptual domain are highlighted, whether related to auditory-perceptual domain stand out, whether related to auditory processing, or related to children's performance in discrimination tasks. There are few studies relating the occurrence of PD with the auditory-perceptual phonemic identification task. Objective: To investigate the auditory-perceptual performance of children with and without PD in a perceptual-auditory identification task between obstruents, comparing the accuracy, reaction time and error pattern, as well as, to verify whether auditory-perceptual accuracy is dependent on the phonetic class. It is expected that the performance of children with PD is less accurate and more laborious compared to the performance of children with typical development, and there is also a difference between accuracy, reaction time and error pattern among the phonetic classes. Methodology: This study was approved by the Research Ethics Committee (REC) under protocol 67549317.5.0000.5406. Sixty-two children were selected, 41 with a diagnosis of phonological disorder and 21 with typical phonological development, from 4 to 9 years old, paired with each other according to gender and age. Stimulus used in the experiment consisted of typical recordings of familiar words that constitute minimal pairs, contrasting fricative and stops phonemes. The acoustic stimulus was played to the children through auditory pathway binaurally and they needed to choose and indicate which picture corresponds to the acoustic stimulus presented, among two possibilities arranged on a computer screen. Both accuracy and reaction time of the children were controlled by the PERCEVAL software. A statistical analysis was conducted to verify a possible difference between the groups regarding to auditory-perceptual accuracy and reaction time, as well as a difference between the error pattern. Results: For the percentage of correct answers, the repeated measures ANOVA showed a significant effect for the group, but not for class and neither interaction between group and class. In the percentage of errors, no significant effects were found for group, class or interaction between group and class. In the analysis of reaction time, for the correct answers, there was no significant effect for group or class, but there was it for the interaction between group and class. The Pos-Hoc analysis, based on Fisher's test, a difference in RT between classes was observed only for the group of children with PD. There was no significant effect on group, class or interaction between group and class for the RT of errors. In the analysis of error pattern, there was not significant effect observed for class or for the interaction between class and type of error, but there was significant effect for the type of error, which, later, with the Pos-Hoc Bonneferroni test, it was observed that articulatory point errors differ from voicing and voicing+articulatory point errors, as they are the most frequent. Conclusion: Children with PD showed worse accuracy when compared to children with typical phonological development and have also a longer response time in the correct answers for the class of stops in a perpcetual-auditory identification task of obstruents contrasts. Acoustic cues related to the articulatory point of fricatives seem to play a fundamental role in identifying fricative contrasts.

Descrição

Palavras-chave

Transtorno fonológico, Percepção, Avaliação, Phonological disorder, Perception, Evaluation

Como citar