Efeitos renais e cardiovasculares da infusão de dopamina e da solução de cloreto de sódio a 7,5%: estudo experimental em cães com restrição hídrica

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2003-09-01

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira de Anestesiologia

Resumo

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: É controvertido o uso da infusão de dopamina na proteção renal. O objetivo desta pesquisa foi estudar o efeito da dopamina, da solução hipertônica e da associação de ambas em cães com restrição hídrica, simulando o jejum pré-operatório. MÉTODO: Foram estudados, em 32 cães anestesiados com tiopental sódico e fentanil, os seguintes parâmetros da função renal: fluxo plasmático efetivo renal (depuração de para-aminohipurato de sódio), ritmo de filtração glomerular (depuração de creatinina) e as depurações de sódio, de potássio e osmolar, excreção fracionária de sódio e potássio, excreção de sódio e potássio e a resistência vascular renal. Os parâmetros cardiovasculares foram: pressão arterial média, freqüência cardíaca, pressão da veia cava inferior, índice cardíaco, hematócrito e índice de resistência vascular periférica. Os animais foram subdivididos, através de sorteio, em 4 grupos experimentais: Grupo 1 - G1 (n = 8) - grupo controle; Grupo 2 - G2 (n = 8) infusão de dopamina (2 µg.kg-1.min-1), Grupo 3 - G3 (n = 8) solução de cloreto de sódio a 7,5% (2 ml.kg-1) e Grupo 4 - G4 (n = 8) - associação de dopamina (2 µg.kg-1.min-1) e cloreto de sódio a 7,5% (2 ml.kg-1). Os grupos tiveram quatro fases experimentais e cada momento com duração de 30 minutos, compreendendo os momentos M1, M2, M3 e M4. RESULTADOS: O grupo da dopamina (G2) apresentou diminuição da pressão arterial média, da resistência vascular renal e da excreção de potássio. O grupo da solução hipertônica de cloreto de sódio (G3) apresentou aumento do índice cardíaco, do volume urinário, da depuração de sódio e de potássio, da excreção urinária de sódio e potássio e da excreção fracionária de sódio. No grupo da solução hipertônica de cloreto de sódio associada à dopamina (G4), ocorreu elevação da freqüência cardíaca, do índice cardíaco, do fluxo plasmático efetivo renal e da excreção urinária de sódio; ocorreu também diminuição do índice de resistência vascular sistêmica e do potássio plasmático. CONCLUSÕES: Deste estudo conclui-se que a solução hipertônica de cloreto de sódio foi capaz de melhorar as condições hemodinâmicas e, conseqüentemente, a função renal de cães sob restrição hídrica de 12 horas. O mesmo não aconteceu com a infusão de 2 µg.kg-1.min-1 de dopamina que, em situação similar, não causou aumento da diurese e da excreção de sódio.
JUSTIFICATIVA Y OBJETIVOS: Es controvertido el uso de la infusión de dopamina en la protección renal. El objetivo de esta pesquisa fue estudiar el efecto de la dopamina, de la solución hipertónica y de la asociación de ambas en canes con restricción hídrica, simulando el ayuno pre-operatorio. MÉTODO: Fueron estudiados, en 32 canes anestesiados con tiopental sódico y fentanil, los siguientes parámetros de la función renal: flujo plasmático efectivo renal (depuración de para-aminohipurato de sodio), ritmo de filtración glomerular (depuración de creatinina) y las depuraciones de sodio, de potasio y osmolar, excreción fraccionaria de sodio y potasio, excreción de sodio y potasio y la resistencia vascular renal. Los parámetros cardiovasculares fueron: presión arterial media, frecuencia cardíaca, presión de la vena cava inferior, índice cardíaco, hematócrito e índice de resistencia vascular periférica. Los animales fueron subdivididos, a través de sorteo, en 4 grupos experimentales: Grupo 1 - G1 (n = 8) - grupo control; Grupo 2 - G2 (n = 8) infusión de dopamina (2 µg.kg-1.min-1), Grupo 3 - G3 (n = 8) solución de clorato de sodio a 7,5% (2 ml.kg-1) y Grupo 4 - G4 (n = 8) - asociación de dopamina (2 µg.kg-1.min-1) y clorato de sodio a 7,5% (2 ml.kg-1). Los grupos tuvieron cuatro partes experimentales y cada momento con duración de 30 minutos, comprendiendo los momentos M1, M2, M3 y M4. RESULTADOS: El grupo de la dopamina (G2) presentó diminución de la presión arterial media, de la resistencia vascular renal y de la excreción de potasio. El grupo de la solución hipertónica de clorato de sodio (G3) presentó aumento del índice cardíaco, del volumen urinario, de la depuración de sodio y de potasio, de la excreción urinaria de sodio y potasio y de la excreción fraccionaria de sodio. En el grupo de la solución hipertónica de clorato de sodio asociada a la dopamina (G4), ocurrió elevación de la frecuencia cardíaca, del índice cardíaco, del flujo plasmático efectivo renal y de la excreción urinaria de sodio; ocurrió también diminución del índice de resistencia vascular sistémica y del potasio plasmático. CONCLUSIONES: de este estudio se concluye que la solución hipertónica de clorato de sodio fue capaz de mejorar las condiciones hemodinámicas y, consecuentemente, la función renal de canes bajo restricción hídrica de 12 horas. Lo mismo no aconteció con la infusión de 2 µg.kg-1.min-1 de dopamina que, en situación similar, no causó aumento de la diuresis y de la excreción de sodio.
BACKGROUND and OBJECTIVES: Dopamine infusion for renal protection is controversial. This study aimed at observing the effects of dopamine, hypertonic solution and the association of both in dogs with water restriction, emulating preoperative fast. METHODS: The following renal function parameters were studied in 32 dogs anesthetized with sodium pentobarbital and fentanyl: effective renal plasma flow (sodium para-aminohippurate clearance), glomerular filtration rate (creatinine clearance), sodium, potassium and osmolar clearance, sodium and potassium fractional excretion and renal vascular resistance. Cardiovascular parameters were: mean blood pressure, heart rate, inferior vena cava pressure, cardiac index, hematocrit and peripheral vascular resistance index. Animals were randomly distributed in four experimental groups: Group 1 - G1 (n = 8) - control group; Group 2 - G2 (n = 8) - dopamine infusion (2 µg.kg-1.min-1); Group 3 - G3 (n = 8) - 7.5% sodium chloride (2 ml.kg-1) and Group 4 - G4 (n = 8) - association of dopamine (2 µg.kg-1.min-1) and 7.5% sodium chloride (2 ml.kg-1). Groups underwent four experimental stages lasting 30 minutes each, and involving moments M1, M2, M3 and M4. RESULTS: Dopamine group (G2) had mean blood pressure, renal vascular resistance and potassium excretion decrease. Hypertonic sodium chloride group (G3) had cardiac index, urinary volume, sodium and potassium clearance, sodium and potassium urinary excretion and sodium fractional excretion increase. Group receiving the association of hypertonic solution and dopamine (G4) had heart rate, cardiac index, effective renal plasma flow and sodium urinary excretion increase; there has also been systemic vascular resistance and plasma potassium index decrease. CONCLUSIONS: Our conclusion was that hypertonic sodium chloride solution was able to improve hemodynamic conditions and, as a consequence, renal function of dogs under 12-hour water restriction. The same was not true for 2 µg.kg-1.min-1 dopamine which, in a similar situation, has not increased diuresis and sodium excretion.

Descrição

Palavras-chave

ANIMAL, DROGAS, DROGAS, SISTEMA RENAL, VOLEMIA, VOLEMIA, ANIMAL, DRUGS, DRUGS, RENAL SYSTEM, VOLUME STATUS, VOLUME STATUS

Como citar

Revista Brasileira de Anestesiologia. Sociedade Brasileira de Anestesiologia, v. 53, n. 5, p. 600-609, 2003.