Seleção de clones de eucalipto para tolerância à seca no nordeste do Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2018-09-06

Orientador

Tambarussi, Evandro Vagner
Moraes, Cristiano Bueno de

Coorientador

Pós-graduação

Ciência Florestal - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

No Brasil, em 2016, havia 7,84 milhões de hectares plantados com árvores, sendo 14% desta relativa ao segmento de carvão vegetal e siderurgia. O país está entre os maiores produtores de carvão vegetal do mundo. Existem mais de 120 indústrias que utilizam carvão vegetal no processo de produção de ferro-gusa, de ferro-ligas e de aço, os principais polos de consumo de carvão estão localizados nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Maranhão e Pará. A cultura do eucalipto nos estados do norte e nordeste do Brasil, como Tocantins, Pará, Maranhão e Piauí, é relativamente nova e tem como limitação a pouca seleção de materiais adaptados as altas temperaturas e ao severo e prolongado período de déficit hídrico. Desta forma, o objetivo desta pesquisa foi estudar os parâmetros e variabilidade genética para a tolerância à seca, determinar a interação genótipos x ambientes e selecionar clones para a tolerância à seca, em testes clonais plantados em dois ambientes no município de Grajaú, estado do Maranhão. Os testes foram plantados em janeiro de 2011, em solos argiloso e arenoso, com 130 clones, sendo 112 provenientes de seleção massal em talhões comerciais plantados com sementes e posteriormente identificadas como E. urophylla, híbrido E. grandis x E. urophylla, E. pellita, E. camaldulensis e E. tereticornis e 18 clones comerciais. Os testes clonais foram implantados no delineamento de blocos casualizados, com uma planta por parcela e 20 repetições. A partir do segundo ano foram medidos anualmente diâmetro à altura do peito (DAP, 1,30 m), altura total e estimado volume de madeira por árvore. Os parâmetros genéticos foram estimados com base no procedimento REML/BLUP. Os resultados mostraram que os clones de eucalipto estudados apresentaram alta variabilidade para a tolerância à seca. O teste da razão de verossimilhança (LRT) foi significativo a 5% para clones e para a interação clone x local. As estimativas das herdabilidades de aproximadamente 0,8, foram altas para as características de crescimento, assim como as acurácias na seleção dos clones (70% para a altura e 80% para DAP e volume). Houve interação simples entre genótipos x ambientes para os clones, nas condições de variação de solo. A alta restrição de água no solo não permitiu maiores diferenças de produtividade dos clones nos diferentes ambientes. Observações de sobrevivência e qualidade em campo foram feitas para a seleção dos melhores clones em função da alta mortalidade nos testes. Os seis melhores clones (1, 3, 4, 10, 30 e 35) apresentam tipicidade fenotípica de E. camaldulensis e foram indicados para plantios em escala pré-operacional ou testes em maior escala. Houve diferença na seleção pela análise individual e pela interação genótipos x ambientes. A seleção dos melhores clones com base apenas na análise individual poderia ser errada ou excluir clones importantes.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados

Financiadores