Método para estudar a dinâmica de herbicidas em palha

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-06-18

Orientador

Velini, Edivaldo Domingues

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Agricultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Com a proibição da realização de queimadas para a colheita da cana-de-açúcar, e a implantação da colheita mecanizada, foi originado o sistema de produção denominado cana crua. Nele há o acúmulo de grandes quantidades de resíduos na superfície do solo após a colheita, sendo a cultura implantada sobre essa palhada. Nesse sistema a camada de palha pode interferir na dinâmica dos herbicidas, pois é uma barreira a ser transposta até atingir o solo. Visando obter informações acerca da dinâmica de diferentes produtos, o objetivo desse trabalho foi avaliar a transposição de herbicidas simulando aplicações direto na palha e diluída na água de chuva em palha de cana- de-açúcar. O estudo realizado no NUPAM, visando determinar a dinâmica de transposição dos herbicidas atrazine, diuron, fomesafen, glyphosate, haloxyfop-p- methyl, hexazinone, indaziflam, S-metolachlor e sulfentrazone em palha de cana-de- açúcar. Utilizou-se delineamento inteiramente ao acaso, com quatro repetições, sendo a palha utilizada cortada em 0,5 x 0,5 cm e acondicionada em cápsulas de polietileno. Tendo 9 tratamentos x 3 épocas experimentais x 2 condições. Sendo a primeira condição, a simulação da chegada do herbicida na superfície da palha após a aplicação direta da calda com pipeta de repetição de 40 μL do volume de calda de cada produto por unidade experimental, enquanto na segunda condição, foi simulada a chegada do herbicida na palha após a ocorrência de chuvas, com 40 μL do volume de calda de cada produto aplicado por unidade experimental durante a simulação de 25 mm de chuva. Logo após foram simuladas lâminas acumuladas de chuva de 25, 50, 75 e 100 mm e de 50, 75 e 100 mm para o primeiro e segundo experimento, respectivamente. A determinação dos herbicidas nas soluções foi realizada por meio de análises cromatográficas utilizando o sistema LCMS/MS. Os dados foram submetidos aos testes de normalidade e homogeneidade, e posteriormente submetidos à análise de variância pelo teste F, com as médias comparadas pelo teste t (p<0,05). Foram ajustados modelos de regressão não-linear de Mitscherlich para demostrar a transposição dos herbicidas da palha após a simulação de chuva. Os herbicidas aplicados simulando diluída na água de chuva em palha em 10 t ha-1 de cana-de-açúcar na chuva de 100 mm foram divididos em três grupos com transposição acima de 70% a 90% (indaziflam, fomesafen, hexazinone, diuron, atrazine e sulfentrazone), seguido de 40% a 60% (haloxyfop-p-methyl e glyphosate) e 10% a 30% (S-metolachlor). Enquanto, na aplicação direta na palha a porcentagem dos herbicidas traspostos foram de 70% a 90% (fomesafen e sulfentrazone), 40% a 60% (glyphosate, diuron, hexazinone e atrazine) e 10% a 30% (haloxyfop-p-methyl, S-metolachlor e indaziflam). Para a maioria dos produtos as características físico- químicas, principalmente a solubilidade favorece a transposição dos herbicidas. Conclui-se que, para os herbicidas estudados a chegada na superfície da palha em aplicações em diluída na água de chuva em palha promove maior transposição na palha de cana-de-açúcar.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados