Cinemática do segmento toracolombar de equinos submetidos aos exercícios funcionais

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-12-10

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O treinamento funcional é comumente utilizado nos protocolos de exercícios ao manejo de dor na coluna, para restaurar a amplitude de movimento sem dor e da função deste segmento em humanos. Entretanto, há uma quantidade escassa de pesquisas que suportam os efeitos destes exercícios sobre a cinemática da região toracolombar em equinos. Este estudo teve por objetivo investigar os efeitos cinemáticos dos exercícios de mobilização dinâmica sobre o segmento toracolombar em cavalos assintomáticos de equitação fundamental. Foram utilizados quinze cavalos sem raça definida, com idade média com desvio padrão de 15.7 ± 5.0 anos e peso vivo médio com desvio padrão de 488 ± 66,6 Kg, no qual foram monitorados antes (dia 0) e ao término do período experimental (dia 60). Os tratamentos consistiram em três grupos experimentais, sendo um composto por cavalos não realizando os exercícios de mobilização dinâmica, denominado como controle, outro constituído por cavalos submetidos aos exercícios de mobilização e o terceiro constituído por cavalos submetidos a mobilização dinâmica associada ao levantamento do esterno. Assim, os cavalos foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, totalizando em cinco repetições por tratamento. Os exercícios de mobilização dinâmica foram realizados nos cavalos três vezes por semana, durante dois meses. Os cavalos experimentais estiveram submetidos a uma série de exercícios de mobilização dinâmica constituída por três flexões cervicais longitudinais (cabeça no peito, cabeça entre os carpos, cabeça entre os cascos), uma extensão cervical e três flexões cervicais laterais (cabeça na espádua, na patela e no jarrete), lados direito e esquerdo, totalizando dez mobilizações e um dos grupos experimentais também realizou levantamento do esterno. Foram avaliadas as variáveis cinemáticas estáticas lineares de profundidade (cm) nos seguintes pontos anatômicos da toracolombar: décima vértebra torácica (T10), décima terceira vértebra torácica (T13), décima sétima vértebra torácica (T17) e primeira lombar (L1). As variáveis foram avaliadas quanto a normalidade de distribuição, usando o teste Kolmogorov-Smirnov. Para os dados com distribuição normal as análises foram conduzidas por meio da ANOVA (SAS, 2000). Os testes estatísticos utilizaram probabilidade de 5%. A realização dos exercícios funcionais produziu uma significativa redução na profundidade de todos os pontos anatômicos da toracolombar avaliados (P<0,05) quando comparado aos cavalos do grupo controle. Portanto os exercícios de mobilização dinâmica associados ou não ao levantamento do esterno, provoca a flexão da região toracolombar, por meio do deslocamento dorsal da coluna, contribuindo na melhora da postura desta região em cavalos de equitação fundamental.
Functional training is commonly used in exercise protocols to manage spinal pain, to restore pain-free range of motion and function of this segment in humans. However, there is a scarce amount of research supporting the effects of these exercises on the kinematics of the thoracolumbar region in horses. This study aims to investigate the kinematic effects of dynamic mobilization exercises on the thoracolumbar segment in asymptomatic leisure horses. Fifteen horses without defined breed will be used with a mean age of 15.7 ± 5.0 years and mean live weight of 488 ± 66,6 Kg.They will be monitored before (day 0) and at the end of the experimental period (day 60). The treatments consisted of three experimental groups: one consisted of horses that did not perform the dynamic mobilisation exercises (control), another consisted of horses submitted to the mobilisation exercices and the third group consisted of horses submitted to the dynamic mobilisation associated lifting of the sternum. The horses will be distributed in an entirely randomised design, with five repetitions per treatment. The dynamic mobilisation exercises were done performed on the horses three times a week for four months. The experimental horses were done submitted to a series of dynamic mobilisation exercises consisting of three longitudinal cervical flexions (head at the chest, head between the carpals, head between the hooves), one cervical extension and three lateral cervical flexions (head at the shoulder, patella and hock), right and left sides, totalling ten mobilisations, ando ne of the experimental groups will also carry out a lifiting of the sternum. The static kinematic variables were done evaluated as depth (cm) at the following anatomical points of the thoracolumbar: tenth thoracic vertebra (T10), thirteenth thoracic vertebra (T13), seventeenth thoracic vertebra (T17), first lumbar vertebra (L1). Variables were done evaluated for normality of distribution using the Kolmogorov-Smirnov test. For data with normal distribution the analyses will be conducted using ANOVA (SAS, 2000). The statistical tests will use 5% probability. The performance of functional exercises produced a significant reduction in the depth of all anatomical points of the thoracolumbar evaluated (P<0.05) when compared to horses in the control group. Therefore, dynamic mobilization exercises associated or not with lifting the sternum, causes flexion of the thoracolumbar region, through the dorsal displacement of the spine, contributing to improve the posture of this region in fundamental riding horses.

Descrição

Palavras-chave

Biomecânica da coluna, Treinamento funcional, Cavalo, Spine biomechanics, Functional training, Horse

Como citar