Olhos educados para se odiar. O feitiço: um autorretrato de uma mulher negra ou a dramaturgia de cartas escritas por uma universitária de cor

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-01-30

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O presente trabalho, tem como tema o racismo estrutural dentro das instituições educacionais no Brasil, e sua influência na construção de identidade e imagem da pessoa negra. A obra busca a partir da configuração de cartas, que é um gênero textual de correspondência conhecido na literatura como gênero epistolar, expressar como a educação atrelada ao racismo atravessa a subjetividade de uma universitária negra dentro da universidade pública, durante o curso de licenciatura em arte teatro no Instituto de Artes em São Paulo. O método utilizado, passeia por uma pesquisa etnográfica e autobiográfica, onde a junção de cartas poéticas escritas a partir de memórias pessoais da autora, se apresentam como material bruto para a produção de cenas e performances teatrais. As cartas, então, se tornam recurso dramatúrgico para a representação teatral dos anseios, traumas e reflexões de uma universitária de cor. O trabalho tem como objetivo principal ser um recurso de reflexão, acolhimento, registro e pulsão criativa para estudantes, educadores, artistas e pesquisadores negros, que busquem dialogar sobre a experiência do negro nas instituições de ensino numa sociedade balizada pelo racismo. Este trabalho também se caracteriza como dramaturgia negra, pois convida aos seus correspondentes, os principais destinatários destas cartas: as pessoas negras, que ao se identificarem com a narrativa em diálogo com o material, criem suas próprias cenas e histórias. A estrutura não linear e autobiográfica, coteja com o conceito de escrevivência de Conceição Evaristo, onde a própria autora se coloca na narrativa, trazendo para a literatura sua vivência e história.
Travay sa a gen kòm tèm rasis estriktirèl nan enstitisyon edikasyon nan peyi Brezil, ak enfliyans li sou konstriksyon idantite ak imaj sou moun nwa a. Travay la ap chèche soti nan konfigirasyon lèt, ki se yon genre tèks korespondans, eksprime kijan edikasyon ki lye ak rasis kwaze subjectivite yon etidyan inivèsite nwa nan inivèsite piblik la, pandan kou diplòm nan teyat atizay, nan Instituto de Artes. nan Sao Paulo. Metòd la itilize, mache nan yon rechèch etnografik ak otobyografik, kote konbinezon an nan lèt powetik ekri nan memwa pèsonèl otè a, yo prezante kòm matyè premyè pou pwodiksyon an nan sèn. Lèt yo, Lè sa a, vin tounen yon resous dramaturgik pou reprezantasyon an teyat nan enkyetid yo, chòk ak refleksyon nan yon etidyan inivèsite nan koulè. Objektif prensipal travay la se yon resous pou refleksyon, resepsyon, enskripsyon ak enpilsyon kreyatif pou etidyan nwa, edikatè, atis ak chèchè, ki chache dyalòg sou eksperyans nwa a nan enstitisyon edikasyonèl nan yon sosyete ki make pa rasis. Travay sa a karakterize tou kòm dramaturji nwa, paske li envite korespondan nwa li yo, ki, lè yo idantifye tèt yo ak naratif la, nan dyalòg ak materyèl la, kreye pwòp sèn ak istwa yo. Estrikti ki pa lineyè ak otobyografik la, koutize ak konsèp ekriti Conceição Evaristo*, kote otè a li menm mete tèt li nan naratif la, ki pote eksperyans li ak istwa li nan literati.

Descrição

Palavras-chave

Negras - Narrativas pessoais, Racismo na educação, Sociologia educacional, Negros - Identidade racial

Como citar