Influência da anestesia no desfecho perinatal de gestação de hipertensas obesas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2012

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar o efeito da anestesia no desfecho perinatal de mulheres hipertensas obesas submetidas à cesárea. Trata-se de estudo observacional prospectivo de 98 gestantes hipertensas e seus recém-nascidos, submetidas à cesárea sob anestesia subaracnoidea. As gestantes foram divididas em quatro grupos de acordo com seus índices de massa corporal (IMC): normal, sobrepeso, obesidade I e obesidade II. Dados demográficos e cirúrgicos maternos, bem como os valores de amostras de sangue venoso do cordão umbilical e características neonatais foram comparados entre os quatro grupos. Mediana e percentis foram utilizados (tendência de distribuição não-normal) e variáveis categóricas foram expressas em valores absolutos e percentuais. Quase 70% das mulheres eram brancas. A parada da dilatação como indicação para cesárea diferiu entre os grupos (p = 0,002): 33,33% do grupo obesidade II, 8,69% do grupo obesidade I, 6,66% do grupo normal e zero no grupo com sobrepeso. Pressão arterial sistólica máxima foi maior em mulheres com IMC normal (p = 0,002). Valores de peso ao nascimento, estatura, pH do sangue venoso do cordão umbilical, lactato, meta-hemoglobina, reticulócitos e eritroblastos foram semelhantes entre os grupos. Escores de New Ballard, Apgar e Silverman-Andersen não diferiram significativamente entre os grupos analisados. Somente cinco recém-nascidos foram internados na unidade neonatal, 25 foram levados para o berçário, onde permaneceram até alta para o alojamento conjunto e 68 permaneceram com suas mães após o nascimento. Não houve influência da anestesia subaracnoidea no desfecho perinatal de gestação de hipertensas obesas
The aim of this study was to analyze the effect of anesthesia on perinatal outcome of hypertensive obese women undergoing cesarean delivery. This is a prospective observational study of 98 cesarean sections in hypertensive pregnant women, and their newborns, under spinal anesthesia. Women were divided into four groups according to their body mass indices: normal, overweight, obese I, and obese II. Demographic and surgical maternal data, values of cord blood samples and neonatal outcomes were compared between the four groups. Median and percentiles were used (tendency of non-normal distribution) and categorical variables were expressed as absolute values and percentage. Almost 70% of the women were white. The arrest of dilation, which was the indication for cesarean delivery, differed between the groups (p = 0.002): 33.33% in the obese II, 8.69% in the obese I, 6.66% in the normal body mass index, and zero in the overweight group. Maximum systolic blood pressure was higher in women with normal body mass index (p = 0.002). Birth weight, height, umbilical venous cord blood pH, lactate, methemoglobin, reticulocyte, and erythroblast counts were similar between groups. New Ballard, Apgar and Silverman-Andersen scores did not differ significantly between the groups analyzed. Only five newborns were admitted to the neonatal unit, 25 were taken to the nursery, where they stayed until discharge when they joined their mothers and 68 remained with their mothers. There was no adverse effect of spinal anesthesia on neonatal outcome of hypertensive obese pregnant women

Descrição

Palavras-chave

Mulheres grávidas, Obesidade nas mulheres, Hipertensão na gravidez, Cesariana, Hypertension in pregnancy

Como citar

LEITE, Fernanda. Influência da anestesia no desfecho perinatal de gestação de hipertensas obesas. 2012. 83 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina de Botucatu, 2012.