Mensurando níveis de atividade física e seu impacto na qualidade do sono e na dor lombar

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2016-04-13

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

No contexto da dor lombar crônica existe a necessidade de instrumentos válidos capazes de mesurar o nível de atividade física desses pacientes. O nível de atividade física é comumente avaliado por meio de medidas subjetivas, como os questionários de auto relato e por meio de medidas objetivas, como as medidas derivadas do acelerômetro. Portanto, os objetivos deste estudo foram: (i) determinar a responsividade de duas medidas subjetivas, versão longa do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) e Questionário de Atividade Física Habitual de Baecke (BPAQ), e medidas objetivas que avaliam o nível de atividade física derivadas do acelerômetro e (ii) comparar a responsividade dessas medidas com a responsividade dos desfechos clínicos de dor e incapacidade em pacientes com dor lombar crônica não especifica. Foram recrutados 83 pacientes com dor lombar crônica não especifica, com sintomas de três meses ou mais, e excluídos pacientes com patologias específicas da coluna lombar e com radiculopatia. Foram coletados dados na avaliação inicial e após 8 semanas de tratamento os questionários que avaliam dor (escala numérica de dor), incapacidade funcional (questionários de incapacidade de Roland Morris e questionário de incapacidade lombar de Quebec) e o nível de atividade física (IPAQ-versão longa –BPAQ). Além disso, os pacientes foram instruídos a utilizar o acelerômetro por 7 dias consecutivos antes e após o tratamento fisioterapêutico de 8 semanas. As medidas derivadas do acelerômetro foram: tempo em atividade moderada-e-vigorosa por dia, número de counts/min e passos/dia. O tipo do tratamento não foi específicado, mas os fisioterapeutas foram orientados a seguir o recomendado pelas diretrizes clínicas na área da do lombar. Os resultados de responsividade interna mostraram que os desfechos clínicos de dor e incapacidade possuem uma excelente responsividade interna e externa. Entretanto, as medidas subjetivas e objetivas que avaliam o nível de atividade física foram consideradas não foram considerados responsivas quando comparadas com os desfechos clínicos.

Descrição

Palavras-chave

Dor lombar, Atividade física, Questionários, Responsividade

Como citar