Queixa escolar e o público infanto juvenil: práticas contemporâneas de Psicologia nos serviços de saúde

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2018-09-05

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Desde o final do século XX no Brasil, observa-se um fluxo exacerbado de encaminhamentos de crianças que vivenciam dificuldades diversas no ambiente escolar, e são direcionadas aos serviços de saúde mental. Em panorama geral, estudos constatam que a demanda infantil por serviços especializados surge conforme a criação dos saberes técnicos pré-existentes, e que os encaminhamentos de demandas escolares aos serviços de saúde realizados desde meados da década de 1920, ampliam-se a outras instituições como as escolas públicas de educação especial na década de 1970, voltando-se de maneira acentuada aos serviços públicos de saúde e suas novas organizações no final da década de 1990 e início do século XXI, como consequência dos procedimentos institucionais medicalizantes cada vez mais frequentes. Assim, a presente pesquisa intentou verificar de que forma as práticas contemporâneas da Psicologia na saúde explicitam a função escolar mediante o recebimento de encaminhamentos das demandas provindas desse meio, sobretudo no que tange a concepção dos profissionais quanto à interposição da escola na constituição da subjetividade e desenvolvimento do indivíduo. Para tanto, foi proposta a análise de dados identificados em prontuários de atendimentos psicológicos à demanda escolar (crianças e adolescentes de quatro a dezessete anos), prestados em dois serviços públicos de saúde localizados em um município do interior do estado de São Paulo. Além disso, também foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com os profissionais que efetivaram as avaliações e/ou acompanhamentos psicológicos junto a esse público. O exame dos dados ocorreu a partir da eleição de tabelas, gráficos e categorias de análise, sendo estas últimas embasadas pelos fundamentos da Psicologia Histórico-Cultural e pelos pressupostos teórico-filosóficos e metodológicos do Materialismo Histórico Dialético. Os principais resultados demonstraram a existência de um perfil padronizado de crianças e adolescentes que são encaminhados com queixa escolar aos serviços de saúde - sujeitos do sexo masculino pertencentes à faixa etária do primeiro ciclo escola - bem como a sustentação, ao longo do tempo, de um conjunto de práticas adotadas pelos psicólogos inseridos nesses serviços, as quais são essencialmente amparadas pela opção do atendimento psicoterápico individual ou grupal, embora os profissionais demonstrem ter conhecimentos sobre as teorias do fracasso escolar e suas implicações para a vida do sujeito. Por fim, embora a relevância da educação escolar para o desenvolvimento do indivíduo tenha sido admitida pelos profissionais participantes do estudo, observou-se que em virtude de complexidades estruturais dos sistemas de formação e atuação técnicas, podem ocorrer, por vezes, distanciamentos entre os técnicos e os elementos que protagonizam a forma de educação escolar.
Since the end of the 20th century in Brazil, there has been an exacerbated flow of referrals from children who experience various difficulties in the school environment, and are directed to mental health services. In general, studies show that children's demand for specialized services arises from the creation of pre-existing technical knowledge, and that referrals of school demands to health services since the mid-1920s extend to other institutions such as the public schools of special education in the 1970s, turning sharply to public health services and their new organizations in the late 1990s and early 21st century as a consequence of increasingly frequent medical institutional procedures. Thus, the present research sought to verify how the contemporary practices of health psychology explicit the school function by receiving referrals from the demands derived from this environment, especially regarding the conception of professionals regarding the interposition of the school in the constitution of subjectivity and development of the individual. It was proposed the analysis of data identified in medical records of psychological assistance to school demand (children and adolescents from four to seventeen years old), provided in two public health services located in a municipality in the interior of the state of São Paulo. In addition, semi-structured interviews were also carried out with the professionals who carried out psychological evaluations and / or follow-ups with this public. The considerations and analyzes of this study were based on Historical-Cultural Psychology, based on the theoretical-philosophical and methodological assumptions of Historical and Dialectical Materialism. Therefore, according to the propositions of such method, the study sought to weave an elaborate analysis of the investigated phenomenon, choosing categories that would meet its objectives. The main results demonstrated the existence of a standardized profile of children and adolescents who are referred with a school complaint to the health services - male subjects belonging to the age range of the first school cycle - as well as the sustenence, over time, of a set of practices adopted by the psychologists inserted in these services, which are essentially supported by the option of individual or group psychotherapeutic care, although professionals demonstrate knowledge about theories of school failure and their implications for the life of the subject. Finally, although the relevance of school education for the development of the individual was admitted by the professionals participating in the study, it was observed that due to the structural complexities of technical training and performance systems, there may be occasional distances between technicians and the elements that characterize the form of school education.

Descrição

Palavras-chave

Educação de crianças, Educação do adolescente, Ambiente escolar, Serviços de saúde, Materialismo histórico, Psicologia histórico cultural

Como citar