O clube de livros da TAG: práticas editoriais, estratégias de venda e construção do enunciatário-leitor

Imagem de Miniatura

Data

2023-05-31

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os clubes de livros existem há um tempo, o intuito é promover a leitura e estimular a troca entre os integrantes, que podem compartilhar suas experiências sobre determinada obra escolhida. Nosso estudo se concentra no clube de assinaturas da TAG Livros – Experiências Literárias, que hoje conta com milhares de assinantes. Todo mês é enviado um kit literário produzido e personalizado pela editora e encaminhado pelo correio. Assim, identificamos vários processos editoriais envolvidos na construção dos kits e que refletem diretamente na leitura e na recepção do leitor. O objetivo geral deste trabalho é analisar esses processos que atuam na experiência literária proposta pela TAG. Depreende-se, a partir da atividade editorial, a presença de várias práticas semióticas, como a curadoria, a circulação da obra, o marketing e a vendagem. O córpus é composto pelo kit literário do mês de junho de 2021 que contém a obra Espellho Partido, de Mercè Rodoreda, uma revista e o “mimo”, nomenclatura utilizada pelo clube. Por se tratar da TAG Curadoria, o objeto analisado também coloca questões sobre a curadora Rosa Montero. Essas duas escritoras atuam diretamente na construção do discurso editorial que se coloca como feminista, salientando a presença das duas mulheres responsáveis pela publicação do mês. Nesse sentido, o trabalho justifica-se por tratar do mercado editorial, assunto que possui um crescente interesse na semiótica do discurso, o qual imprime sua visão de mundo no enunciado e nem sempre o enunciado se realiza na prática. Para isso, utilizamos como instrumental teórico-metodológico o da semiótica greimasiana, de linha francesa, nos valendo principalmente dos estudos de Algridas Julian Greimas e Jacques Fontanille. Com os resultados obtidos, nosso trabalho demonstra que a semiótica é capaz de mostrar, por meio da linguagem, as organizações discursivas colocadas como verdade, que, nesse caso, utiliza-se da confiança para ancorar seu discurso, o que nos faz perceber que a prática de vendagem é a que rege a prática editorial da TAG, pois faz uso do enunciado para obter seu objeto-valor, a venda. Sendo assim, o discurso feminista não se realiza na prática.
Book clubs have existed for a long time, intending to promote reading and stimulate exchanges between members, who can share their experiences about the chosen work. Our study focuses on the subscription club TAG Books - Literary Experiences, which today has thousands of subscribers. Every month, a literary kit produced and customized by the publisher is sent by mail. Thus, we identified several editorial processes involved in the building of kits that directly reflect on the reader's reading and reception. The general objective of this work is to analyze these processes that act in the literary experience proposed by the TAG. The presence of several semiotic practices, such as curation, circulation, marketing, and sales, can be inferred from the editorial activity. The corpus is composed of the literary kit for the month of June 2021, which contains the work Espelho Partido, from the magazine Mercè Rodoreda, and the “mimo”, nomenclature used by the club. Due to it being TAG Curatorship, the analyzed object also poses questions about the curator Rosa Montero. These two writers act directly in the building of the editorial discourse that positions itself as feminist, highlighting the presence of the two women responsible for the publication of the month. In this sense, the work is justified by dealing with the publishing market, a subject that has a growing interest in the semiotics of discourse, which imprints its worldview on the statement and not always the speech materialized in practice. For this, we use Greimasian semiotics as theoretical and methodological instruments, with a French approach, using the studies of Algridas Julian Greimas and Jacques Fontanille. With the results obtained, our work shows that semiotics is capable of evidencing, through language, the discursive organizations placed as truth, which, in this case, uses trust to anchor its discourse, which makes us realize that the practice of selling is what governs TAG's editorial practice because it uses the extract to obtain its object value, the sale. Thus, the feminist discourse does not materialize in practice.

Descrição

Palavras-chave

Feminino, Edição, Female, Edition, Enunciador coletivo, Prática semiótica, Semiótica francesa, Collective enunciator, Practice semiotic, French semiotics

Como citar