Qualidade dos fenos de capim-tifton 85 e alfafa sobre a biometria corporal e o desempenho esportivo de cavalos atletas na modalidade de três tambores

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-07-31

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

We aimed, with this research, to study the effect of quality of tifton grass and alfalfa hay, in isoenergetic and isonitrogenous diets, on equine corporal biometry. The treatments had six diets consisted of 50% concentrated and 50% forage and the experimental design was the latin square 6x6 (six horses and six periods). It was used six horses (1 gelding and 5 stallions), crossbred, aged between 6 and 7 years and 353.8±49.7 kg of average body weight. The forage diet consisted of combinations of hay in 2x3 factorial, two forage (tifton 85 bermudagrass and alfalfa) and three types of hay (A, B and C). The variables measured in horses were body weight (BW), abdominal circumference (AC), water intake (WI), moisture content in feces (M), total serum protein concentration (TSP), fecal output (FO), dry matter digestibility (DMD) of diets and indigestible neutral detergent fiber content (iNDF) in feces. There was significant effect (P<0.05) for BW, AC, M, FO and iNDF for type of forage. The group of horses fed alfalfa hay presented lower BW (349.23±39.69 kg), AC (174.27±8.18 cm), M (72.65±0.79%) and FO (2.42±0.10 kg), and higher iNDF content (63.19±0.59%). For both forages, hay type C resulted in higher FO (P=0.0013), and for type A was observed higher M (P<0.0001) and DMD (P=0.0061). It was possible to conclude that alfalfa hay provided reduction on BW and AC, which can be explained by higher digestibility checked for diet consisting of leguminous hay, as well as the lower water retention and higher amount of non-digestible mass in gastrintestinal tract in respect to tifton bermudagrass hay
Com o trabalho objetivou-se estudar o efeito da qualidade dos fenos de capim-tifton e alfafa, em dietas isoproteicas e isoenergéticas, sobre a biometria corporal de cavalos. Os tratamentos consistiram de seis dietas constituídas por concentrado e volumoso, na relação 50:50, e o delineamento experimental foi o quadrado latino 6x6 (seis cavalos e seis períodos). Foram utilizados seis equinos machos (1 castrado e 5 garanhões), mestiços, com idade entre 6 e 7 anos e peso corporal médio de 353,8±49,7 kg. O volumoso da dieta foi composto pelas combinações de fenos, em esquema fatorial 2x3, sendo duas forragens (capim-tifton e alfafa) e três tipos de feno (A, B e C). As variáveis mensuradas foram peso corporal (PC), perímetro do abdômen (PA), consumo de água (CA), teor de umidade nas fezes (U), concentração de proteína sérica total (PST), produção fecal (PF), coeficiente de digestibilidade da matéria seca (CDMS) das dietas e teor de fibra em detergente neutro indigestível (FDNi) nas fezes. Houve efeito significativo (P<0,05) para as variáveis PC, PA, U, PF e FDNi para o tipo forrageiro. O grupo de cavalos alimentado com feno de alfafa apresentou menores valores para PC (349,23±39,69 kg), PA (174,27±8,18 cm), U (72,65±0,79%) e PF (2,42±0,10 kg), e maior FDNi (63,19±0,59%). Para ambas as forrageiras, o feno tipo C resultou em maior PF (P=0,0013), e para o feno tipo A foi observado maiores U (P<0,0001) e CDMS (P=0,0061). Foi possível concluir que o feno de alfafa proporcionou redução no PC e PA, que pode ser explicado pela maior digestibilidade verificada para a dieta composta pelo feno da leguminosa, com reflexos sobre a menor retenção de água e a maior quantidade de massa digestível no trato gastrintestinal em relação ao feno de capim -tifton.

Descrição

Palavras-chave

Cavalo - Alimentação e rações, Digestão, Forragem, Feno, Alfafa, Corpo - Peso, Body weight

Como citar

TSUZUKIBASHI, Denise. Qualidade dos fenos de capim-tifton 85 e alfafa sobre a biometria corporal e o desempenho esportivo de cavalos atletas na modalidade de três tambores. 2015. x, 65 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, 2015.