Efeito do ultra-som de baixa potência na reparação óssea em ratos sob ausência de carga: análise densitométrica e biomecânica

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2008-12-08

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A literatura apresenta que a resposta de reparo ósseo pode ser acentuada pela estimulação física, mecânica ou eletromagnética. Há evidências de que o ultra-som – US – de baixa potência pode acelerar a regeneração óssea. Este trabalho objetivou verificar o efeito do US no defeito ósseo, criado experimentalmente, em tíbias de ratos sob ausência de carga (suspenso pela cauda) por meio de análise densitométrica e biomecânica. Trinta Rattus novergicus albinus, Wistar, adultos, divididos em 3 grupos: G1 (n=10), não suspenso - experimento de 15 dias; G2 (n=10), suspenso pela cauda - experimento de 15 dias e, G3 (n=10), suspensos pela cauda, experimento de 36 dias. Os animais foram submetidos à osteotomia em ambas as tíbias e à aplicação do US (freqüência de 1,5 MHz, ciclo 1:4, 30mW/cm2) na direita (12 sessões de 20 minutos). O G3 somente foi osteotomizado após 21º dia de suspensão. Para análises densitométrica utilizou-se densitômetro DPXLunar ™, sistema digital Digora e o programa computacional Image J ; para ensaio mecânico usou máquina universal de ensaio EMIC . Os resultados do Conteúdo Mineral Ósseo (g), Área (cm²), Densidade Mineral Óssea (g/cm²) e da Densidade Óssea (mmAl) observadas nas tíbias, assim como a Força Máxima (N) e Rigidez (x103N/m) não demonstraram diferenças significantes (tratadas versus controle de cada grupo), possivelmente pelo menor tempo de tratamento com relação aos trabalhos encontrados na literatura. Concluindo que o Ultra-Som de baixa potência não acelerou o processo de consolidação óssea.
Literature shows that bone repair response can be accented by physical, mechanic or electromagnetic stimulation. There are evidences that low power ultrasound – US - can speed up bone regeneration. This work aimed at determining the effect of US in bone defects, experimentally created, in tibia from rats under load absence (suspended by the tail) by densitometric analysis and biomechanics. Thirty Rattus novergicus albinus, Wistar, adult, divided in 3 groups: G1 (n=10), not suspended – a 15 day experiment; G2 (n=10), suspended by the tail – a 15 day experiment and, G3 (n=10), suspended by the tail – a 36 day experiment. , The animals have been submitted to the osteotomy in both tibias and to the US application (1,5 MHz frequency, cycle 1:4, 30mW/cm2), on the right (twelve sessions of 20 minutes). G3 was only osteotomized after the 21st day of suspension. DPX-Lunar™ densitometer, Digora digital system and Image J computer program were used for densitometrical analysis; for the mechanical assay, the universal machine of EMIC assay was used. The results for Bone Mineral Content (g), Area (cm²), Bone Mineral Density (g/cm²) and Bone Density (mmAl) observed in tibias, as well as Maximum Power (N), and Rigidity (x103N/m) did not show any significant differences (treated versus control of each group), possibly due to shorter treatment time as regards the studies found in literature. Concluding that the low power ultrasound not accelerated the process of consolidating bone.

Descrição

Palavras-chave

Osteotomia, Ultrassom, Ausência de peso, Densidade óssea, Doenças ósseas metabólicas, Estimulação física, Weightlessness, Bone density, Bone Diseases, Metabolic, Physical stimulation, Ultrasonics

Como citar

COÊLHO, Juliana de Carvalho Apolinário. Efeito do ultra-som de baixa potência na reparação óssea em ratos sob ausência de carga: análise densitométrica e biomecânica. 2008. 56 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Odontologia de Araçatuba, 2008.