O emprego de linguagens acessíveis para alunos com deficiência visual em aulas de Óptica

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2008-12-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

O presente artigo encontra-se inserido dentro de um estudo que busca compreender as principais alternativas para a inclusão de alunos com deficiência visual no contexto do ensino de física. Focalizando aulas de óptica, analisa as viabilidades comunicacionais entre licenciandos e discentes com deficiência visual. Para tal, enfatiza as estruturas empírica e semântico-sensorial das linguagens utilizadas, indicando fatores geradores de acessibilidade às informações veiculadas. Recomenda, ainda, alternativas que visam dar condições à participação efetiva do discente com deficiência visual no processo comunicativo, das quais se destacam: a identificação da estrutura semântico-sensorial dos significados veiculados, o conhecimento da história visual do aluno, a utilização de linguagens de estrutura empírica tátil-auditiva interdependente em contextos interativos, bem como, a exploração das potencialidades comunicacionais das linguagens constituídas de estruturas empíricas fundamental auditiva, e auditiva e visual independentes.

Resumo (inglês)

This paper is part of a broader study aiming to understand the main alternatives for including students with visual impairments in the context of teaching physics. It analyzes the feasibility of communication between future physics teachers and their students with visual impairments during classes on optics. To this end, the study emphasizes empirical and semantic-sensorial structures of language that need to be used, indicating factors that enable access to information the teacher means to impart. Alternatives are recommended in order to enable students with visual impairments to participate as fully as possible in the communicative process. Among them we emphasize: the identification of semantic-sensorial structures; understanding the student's visual history; using interdependent empirical tactile-audio language structures in interactive contexts, as well as exploring communicational potentialities of languages made up of empirical structures that are primarily hearing or that have independent audio and visual structures.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Revista Brasileira de Educação Especial. Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE, v. 14, n. 3, p. 405-426, 2008.

Itens relacionados

Financiadores