Avaliação in vivo e in vitro das emulsões de palmarosa e tomilho como agentes irrigantes finais para o tratamento endodôntico

dc.contributor.advisorDezan Junior, Eloi [UNESP]
dc.contributor.authorCury, Marina Tolomei Sandoval [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2023-04-14T18:39:03Z
dc.date.available2023-04-14T18:39:03Z
dc.date.issued24-02-23
dc.description.abstractO objetivo deste estudo foi avaliar in vitro e in vivo a atividade antimicrobiana, biocompatibilidade e o poder flogógeno das emulsões de Cymbopogon martinis (Palmarosa) e Thymus vulgaris (Tomilho) como agentes irrigantes finais. Para o teste in vitro, espécimes de dentina radicular foram obtidas a partir de incisivos inferiores permanentes humanos foram contaminados com biofilme multiespécie. Após as amostras serem instrumentadas com Reciproc R25, foram testados protocolos de irrigação final com hipoclorito de sódio 1%, soro, emulsão de Tomilho e emulsão de Palmarosa. Microscopia confocal com coloração de viabilidade foi utilizada para analisar quantitativamente as proporções de bactérias mortas e vivas no interior dos túbulos dentinários, após 5 minutos e após 48 horas da irrigação final. Os resultados foram analisados com ANOVA e teste de Tukey, com nível de significância estabelecido em 5%. Para a análise histológica, tubos de polietileno com os extratos foram implantados no dorso de 24 ratos machos Wistar. A análise da cápsula fibrosa e do infiltrado inflamatório foram realizadas após 7, 15 e 30 dias. Os dados foram submetidos ao teste de Kruskal-Wallis e Dunn, com nível de significância de 5%. O grupo soro apresentou a maior invasão bacteriana, não havendo diferença entre os períodos. O hipoclorito de sódio demonstrou maior remoção de biofilme após 5 minutos (p < 0,05), diminuindo seu poder bactericida em 48 horas, se igualando às emulsões de Tomilho e Palmarosa em 5 minutos (p > 0,05). Ambas emulsões apresentaram um decréscimo na atividade antimicrobiana com o decorrer do tempo. Para a quantificação do edema, foram utilizados 36 ratos que receberam injeção intravenosa de Azul de Evans 1%. Após 30 minutos, os animais receberam injeção subcutânea na região dorsal de emulsão de Palmarosa ou Tomilho ou soro fisiológico (controle). Os animais foram eutanasiados após 3 e 6 horas, as amostras coletadas, imersas em formamida por 72h e avaliadas por espectrofotometria. Os testes de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis foram usados para analisar os dados histológicos, e os resultados do teste edemogênico foram analisados com ANOVA e teste de Tukey, com nível de significância de 5%. O reparo tecidual foi significativamente melhor após 15 dias do que após 7 dias (p < 0,01), tornando-se semelhante ao controle após 30 dias, não havendo diferença estatística entre as emulsões (p > 0,05). O grupo Tomilho induziu maior edema em comparação com o grupo controle em 3 horas, e não mostrou diferença comparado com a Palmarosa. Em 6 horas, ambas as emulsões apresentaram maior edema inflamatório que o grupo controle (p < 0,05). Podemos constatar que as emulsões de Palmarosa e Tomilho são biocompatíveis, mesmo gerando reação inflamatória inicial, e geram exsudado inflamatório que intensifica com o decorrer do tempo. Além disso, a supressão bacteriana imediata foi efetiva por ambas emulsões, porém menos efetiva que o hipoclorito de sódio.pt
dc.description.abstractThe aim of this study was to evaluate in vitro and in vivo antimicrobial activity and biocompatibility of Cymbopogon martinis (Palmarosa) and Thymus vulgaris (Tomilho) emulsions as final irrigating agents. For the in vitro test, specimens of root dentin were obtained from human permanent mandibular incisors that were contaminated with multispecies biofilm. After samples were instrumented with Reciproc R25, final irrigation protocols were tested with 1% sodium hypochlorite (positive control), Tomilho emulsion, Palmarosa emulsion and saline (negative control). Confocal microscopy with viability staining was used to quantitatively analyze proportions of dead and live bacteria inside the dentinal tubules, after 5 minutes and after 48 hours of the final irrigation. The results were analyzed using ANOVA and Tukey's test, with a significance level set at 5%. For histological analysis, polyethylene tubes with extracts were implanted on the back of 24 male Wistar rats. The analysis of fibrous capsule and the inflammatory infiltrate were performed after 7, 15 and 30 days. Data were submitted to the Kruskal-Wallis and Dunn test, with a significance level of 5%. The group showed the greatest bacterial invasion, with no difference between periods. Sodium hypochlorite showed greater biofilm removal after 5 minutes (p < 0.05), decreasing its bactericidal power in 48 hours, matching Tomilho and Palmarosa emulsions in 5 minutes (p > 0.05). Both emulsions showed a decrease in antimicrobial activity over time. For the edema quantification, 36 rats received intravenous injection of 1% Evan’s Blue. After 30 minutes, animals received subcutaneous injection in the dorsal region of Palmarosa or Tomilho emulsion or saline (control). The animals were euthanized after 3 and 6 hours, the samples collected, immersed in formamide for 72 hours and evaluated by spectrophotometry. The Mann- Whitney and Kruskal-Wallis tests were used to analyze the histological data, and the results of the edema test were analyzed with ANOVA and Tukey's test, with a significance level of 5%. Tissue repair was significantly better after 15 days than after 7 days (p < 0.01), similar to the control after 30 days, with no statistical difference between the emulsions (p > 0.05). Tomilho group induced more edema compared to the control group at 3 hours, and showed no difference compared to Palmarosa. At 6 hours, both emulsions showed greater inflammatory edema than the control group (p < 0.05). It’s possible to conclude that Palmarosa and Tomilho emulsions are biocompatible and generate inflammatory exudate that intensifies over time. Furthermore, immediate bacterial suppression was effective by both emulsions, but less effective than sodium hypochlorite.en
dc.description.sponsorshipAsociación Universitaria Iberoamericana de Postgrado (AIUP)
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.description.sponsorshipIdCAPES: 001
dc.identifier.capes33004021073P5
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/242986
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.subjectDesinfecçãopt
dc.subjectEmulsõespt
dc.subjectEndodontiapt
dc.subjectInflamaçãopt
dc.subjectEndodonticsen
dc.titleAvaliação in vivo e in vitro das emulsões de palmarosa e tomilho como agentes irrigantes finais para o tratamento endodônticopt
dc.title.alternativeIn vivo and in vitro evaluation of palmarosa and thyme emulsions as final irrigating agents for endodontic treatmenten
dc.typeTese de doutorado
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Odontologia, Araçatubapt
unesp.embargoOnlinept
unesp.examinationboard.typeBanca públicapt
unesp.graduateProgramCiência Odontológica - FOApt
unesp.knowledgeAreaEndodontiapt
unesp.researchAreaComportamento biológico, físico e químico de materiais de uso odontológico.pt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
cury_mts_dr_araca_int.pdf
Tamanho:
7.94 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição:
Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
3.02 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição: