Estimation models of variance components for farrowing interval in swine

Resumo

Este trabalho teve como objetivo principal avaliar a importância da inclusão dos efeitos genético materno, comum de leitegada e de ambiente permanente no modelo de estimação de componentes de variância para a característica intervalo de parto em fêmeas suínas. Foram utilizados dados que consistiam de 1.013 observações de fêmeas Dalland (C-40), registradas em dois rebanhos. As estimativas dos componentes de variância foram realizadas pelo método da máxima verossimilhança restrita livre de derivadas. Foram testados oito modelos, que continham os efeitos fixos (grupos de contemporâneo e covariáveis) e os efeitos genético aditivo direto e residual, mas variavam quanto à inclusão dos efeitos aleatórios genético materno, ambiental comum de leitegada e ambiental permanente. O teste da razão de verossimilhança (LR) indicou a não necessidade da inclusão desses efeitos no modelo. No entanto observou-se que o efeito ambiental permanente causou mudança nas estimativas de herdabilidade, que variaram de 0,00 a 0,03. Conclui-se que os valores de herdabilidade obtidos indicam que esta característica não apresentaria ganho genético como resposta à seleção. O efeito ambiental comum de leitegada e o genético materno não apresentaram influência sobre esta característica. Já o ambiental permanente, mesmo sem ter sido significativo o seu efeito pelo LR, deve ser considerado nos modelos genéticos para essa característica, pois sua presença causou mudança nas estimativas da variância genética aditiva.
The main objective of this study was to evaluate the importance of including maternal genetic, common litter environmental and permanent environmental effects in estimation models of variance components for the farrowing interval trait in swine. Data consisting of 1,013 farrowing intervals of Dalland (C-40) sows recorded in two herds were analyzed. Variance components were obtained by the derivative-free restricted maximum likelihood method. Eight models were tested which contained the fixed effects(contemporary group and covariables) and the direct genetic additive and residual effects, and varied regarding the inclusion of the maternal genetic, common litter environmental, and/or permanent environmental random effects. The likelihood-ratio test indicated that the inclusion of these effects in the model was unnecessary, but the inclusion of the permanent environmental effect caused changes in the estimates of heritability, which varied from 0.00 to 0.03. In conclusion, the heritability values obtained indicated that this trait appears to present no genetic gain as response to selection. The common litter environmental and the maternal genetic effects did not present any influence on this trait. The permanent environmental effect, however, should be considered in the genetic models for this trait in swine, because its presence caused changes in the additive genetic variance estimates.

Descrição

Palavras-chave

Common litter, maternal effect, permanent environment, Heritability, repeatability, Swine

Como citar

Brazilian Archives of Biology and Technology. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 52, n. 1, p. 69-76, 2009.