Análise de um programa de formação continuada de professores do atendimento educacional especializado em orientação e mobilidade

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-05-10

Autores

Orbolato, Loiane Maria Zengo [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Objetivou-se analisar, por meio de três estudos, um programa de formação continuada elaborado para professores do Atendimento Educacional Especializado visando o ensino, o treinamento e a avaliação das técnicas básicas de Orientação e Mobilidade nos ambientes escolares. O Estudo 1, de caráter metodológico, teve como objetivo validar protocolos de avaliação de técnicas básicas de Orientação e Mobilidade elaborados em pesquisa anterior. Contou com duas etapas. Na primeira, os protocolos foram aplicados a uma adolescente com cegueira e uma professora. Na segunda, foi realizada uma análise dos protocolos por cinco profissionais experts. A análise qualitativa indicou a necessidade de adequação dos protocolos nos seguintes aspectos: 1) considerar a individualidade da pessoa; 2) não padronização do movimento; 3) adaptação do movimento; 4) mudança na nomenclatura de comportamentos; 5) mudança na nomenclatura da categoria; 6) mudança na nomenclatura de técnicas; 7) inclusão de novos comportamentos; 8) inclusão de nova técnica; 9) mudança na sequência dos comportamentos; 10) exclusão de técnicas; 11) exclusão de comportamentos; e, 12) necessidade considerar a ação do guia. Conclui-se que a composição final do protocolo incorporou várias técnicas e instrumentos de avaliação encontrados na literatura, garantiu um protocolo sistematizado e atualizado para ser usado no treinamento e avaliação das técnicas básicas de Orientação de Mobilidade nos ambientes escolares. O Estudo 2, com caráter de intervenção, teve como objetivo avaliar um curso de formação teórica à distância em Orientação e Mobilidade para cinco professores do Atendimento Educacional Especializado. A formação, na modalidade a distância, teve como base os protocolos que foram validados no Estudo 1 e foi composta por videoaulas, formulários de avaliação e encontros síncronos. A análise dos dados foi qualitativa e quantitativa. Conclui-se que a formação se mostrou satisfatória em relação à aprendizagem das técnicas de locomoção propostas na medida em que permitiu que as professoras avaliassem a sua prática e atualizassem a forma de ensinar baseado nos conhecimentos obtidos. O Estudo 3 caracterizou-se como uma pesquisa de intervenção e teve como objetivo avaliar um curso de formação prática em Orientação e Mobilidade na modalidade à distância para professores do Atendimento Educacional Especializado. Uma professora e um aluno com cegueira participaram deste estudo. A formação, que também teve como base os protocolos que foram validados no Estudo 1, ocorreu na escola onde a professora atuava e o aluno estava matriculado. Os procedimentos utilizados para a formação prática da professora foram divididos em seis etapas: 1) planejamento; 2) avaliação inicial; 3) análise da avaliação inicial; 4) feedback inicial; 5) intervenções e avaliações processuais; e, 6) feedbacks processuais. A análise dos dados foi qualitativa e quantitativa. Os resultados identificaram três situações distintas: 1) a diminuição da frequência da realização incorreta dos comportamentos após o início das intervenções; 2) o aumento da frequência da realização correta dos comportamentos após o início das intervenções; e, 3) o alcance da pontuação máxima. Conclui-se que uma formação prática à distância, supervisionada com foco no ensino, treinamento e avaliação das técnicas básicas de Orientação e Mobilidade em ambientes escolares, pôde surtir efeito favorável na prática do professor do Atendimento Educacional Especializado e, consequentemente, na conquista da locomoção independente, com foco na segurança de alunos com cegueira nos ambientes escolares.
The aim was to analyze, through three studies, a continuing education program designed for teachers of Specialized Educational Assistance aimed at teaching, training, and evaluating the basic techniques of Orientation and Mobility in school environments. Study 1, of methodological nature, aimed to validate evaluation protocols of basic techniques of Orientation and Mobility developed in previous research. It had two stages. In the first stage, the protocols were applied to a teenager with blindness and a teacher. In the second stage, five experts conducted an analysis of the protocols. The qualitative analysis indicated the need to adapt the protocols in the following aspects: 1) considering the individuality of the person; 2) not standardizing movement; 3) adapting movement; 4) changing the nomenclature of behaviors; 5) changing the nomenclature of the category; 6) changing the nomenclature of techniques; 7) including new behaviors; 8) including a new technique; 9) changing the sequence of behaviors; 10) excluding techniques; 11) excluding behaviors; and 12) considering the guide's actions. It was concluded that the final composition of the protocol incorporated various evaluation techniques and instruments found in the literature, providing a systematic and updated protocol to be used in the training and evaluation of basic Orientation and Mobility techniques in school environments. Study 2, with an intervention nature, aimed to evaluate an online theoretical training course on Orientation and Mobility for five teachers of Specialized Educational Assistance. The distance learning training was based on the protocols that were validated in Study 1 and consisted of video lessons, assessment forms, and synchronous meetings. The data analysis was qualitative and quantitative. It was concluded that the training was satisfactory in terms of learning the proposed locomotion techniques, as it allowed the teachers to evaluate their practice and update the way they teach based on the knowledge acquired. Study 3 was characterized as intervention research and aimed to evaluate a practical training course on Orientation and Mobility in online education mode for teachers of Specialized Educational Assistance. One teacher and one student with blindness participated in this study. The training, which was also based on the protocols that were validated in Study 1, took place at the school where the teacher was working and the student was enrolled. The procedures used for the practical training of the teacher were divided into six stages: 1) planning; 2) initial assessment; 3) analysis of the initial assessment; 4) initial feedback; 5) procedural interventions and assessments; and 6) procedural feedbacks. The data analysis was both qualitative and quantitative. The results identified three distinct situations: 1) a decrease in the frequency of incorrect behavior after the start of the interventions; 2) an increase in the frequency of correct behavior after the start of the interventions; and 3) the achievement of the maximum score. It is concluded that a distance practical training, supervised with a focus on teaching, training, and evaluation of basic Orientation and Mobility techniques in school environments, could have a favorable effect on the practice of teachers of Specialized Educational Assistance and, consequently, on the achievement of independent mobility, with a focus on the safety of students with blindness in school environments.

Descrição

Palavras-chave

Educação especial, Orientação e mobilidade, Atendimento educacional especializado, Special education, Orientation and mobility, Specialized educational assistance

Como citar

ORBOLATO, Loiane Maria Zengo. Análise de um programa de formação continuada de professores do atendimento educacional especializado em orientação e mobilidade. 2023. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Marília, 2023.