Incubabilidade e Qualidade de Pintos de Ovos Matrizes de Frangos de Corte Submetidos a Estresse de Temperatura

dc.contributor.authorLeandro, NSM
dc.contributor.authorGonzales, E [UNESP]
dc.contributor.authorVaroli Jr., JCV
dc.contributor.authorLoddi, MM [UNESP]
dc.contributor.authorTakita, TS [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de Goiás (UFG)
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.contributor.institutionZootecnista
dc.date.accessioned2014-05-20T13:33:41Z
dc.date.available2014-05-20T13:33:41Z
dc.date.issued2000-04-01
dc.description.abstractO experimento foi conduzido para avaliar o efeito do estresse de temperatura sobre as características de incubabilidade e qualidade dos pintos nascidos. Trezentos ovos, obtidos de um lote de matrizes de frangos de corte com 42 semanas, foram distribuídos em três incubadoras, reguladas para manter uma temperatura de 37,8ºC, umidade relativa de 60% e viragem mecânica a cada duas horas. Aos 16 dias de incubação (D16), aplicou-se uma variação de temperatura de calor (40ºC) ou frio (32ºC) durante cinco horas em duas máquinas. Os embriões da terceira máquina foram usados como controle. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente, obedecendo-se a um delineamento inteiramente casualizado, com 3 tratamentos. A eclodibilidade e a qualidade dos pintainhos, avaliados pelo peso ao nascer e qualidade de pernas e umbigo não foram significativamente diferentes entre o grupo controle e os grupos estressados. Os resultados revelaram que os ovos exposto ao estresse pelo frio ou calor tiveram um período de incubação maiores - 506,5h e 504,2h, respectivamente - do que aqueles expostos a temperatura normal - 496,3h - como conseqüência no atraso de bicagem interna (7 e 6 h) e externa (13 e 14 h). Concluiu-se que a alteração da temperatura normal de incubação, com resfriamento ou aquecimento por 5 h no D16, não foi suficiente para prejudicar a eclodibilidade e a qualidade dos pintainhos, mas causou uma dilatação do período total de incubação, indicando que mesmo um breve período de variação da temperatura normal de incubação em um período crítico de desenvolvimento é suficiente para determinar estresse nos embriões de frangos de corte.pt
dc.description.abstractThis trial was carried out in order to evaluate the effect in broiler embryos of cold or heat stress on the hatching characteristics, and on the quality of the newborn chicks. Three hundred eggs obtained from 42-week-old broiler breeders were distributed in three incubators maintained at a temperature of 37.8C, relative air humidity of 60%, and mechanically turned on every two hour. At 16 days of incubation (D16), the embryos were submitted to heat (40C) or cold (32C) stress for 5 hours in two of the three machines. The non-stressed embryos of the third incubator were used as control. The data were analyzed in a complete randomized design with 3 treatments. The hatchability and chick s quality, evaluated by the number of neonatal and viable chicks, body weight at birth, and legs and navel qualities, were not different (P>0.05) among the control and temperature-stressed groups. However, results revealed that the eggs exposed to cold or heat stress showed a longer (P<0.05) incubation period - 506.5h and 504.2h, respectively - than those kept at normal temperature - 496.3h - as a consequence of a delay on internal (7 and 6h) and external piping (13 and 12h). It can be concluded that the 5-hour cold or heat stress at D16 is not enough to damage the hatchability or the quality of the chicks, but increase total incubation period, denoting that even a brief period of variation on the normal incubation temperature at a critical period of development is enough to determine stress in broiler embryos.en
dc.description.affiliationUniversidade Federal de Goiás (UFG) Escola de Veterinária Departamento de Produção Animal
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Departamento de Clínica Veterinária
dc.description.affiliationZootecnista
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Instituto de Biologia
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Departamento de Clínica Veterinária
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Instituto de Biologia
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
dc.format.extent39-44
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S1516-635X2000000100006
dc.identifier.citationRevista Brasileira de Ciência Avícola. Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas, v. 2, n. 1, p. 39-44, 2000.
dc.identifier.doi10.1590/S1516-635X2000000100006
dc.identifier.issn1516-635X
dc.identifier.scieloS1516-635X2000000100006
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/11533
dc.language.isopor
dc.publisherFundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas
dc.relation.ispartofRevista Brasileira de Ciência Avícola
dc.relation.ispartofjcr0.463
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.sourceSciELO
dc.subjectincubaçãopt
dc.subjectestressept
dc.subjecttemperaturapt
dc.subjectqualidade de pintainhopt
dc.subjectfrangos de cortept
dc.subjecthatchabilityen
dc.subjectstressen
dc.subjecttemperatureen
dc.subjectchick qualityen
dc.subjectbroileren
dc.titleIncubabilidade e Qualidade de Pintos de Ovos Matrizes de Frangos de Corte Submetidos a Estresse de Temperaturapt
dc.title.alternativeHatchability and Chick Quality of Broiler Breeder Eggs Submitted to Stress Due to Temeperatureen
dc.typeArtigo

Arquivos

Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 2 de 2
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
1.71 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição:
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
1.71 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição:

Coleções