Efeitos da indução sequencial após a pré maturação in vitro sobre a produção embrionária

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-07-28

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A produção in vitro de embriões bovinos desempenha um papel importante na pecuária e na pesquisa, além de ser utilizada como embasamento para melhorias das técnicas de reprodução assistida. Esse estudo foi realizado com o objetivo de desenvolver meios de cultivo com base nos processos que ocorrem in vivo. Com o objetivo de aprimorar um sistema de maturação oocitária já estabelecido em nosso laboratório, o Sistema Folicular (SF), utilizamos os indutores FSH e ampirregulina (AREG) de maneira sequencial, a fim de promover uma ativação mais fisiológica da cascata de maturação. Esse novo sistema foi denominado SF sequencial (SFseq). Ovários bovinos foram coletados em abatedouros e seus complexos cumulus-oócitos (COCs) foram aspirados e submetidos à pré-MIV durante 9 horas e, na sequência, passaram por diferentes protocolos de MIV: (1) MIV induzida apenas com FSH (grupo FSH), (2) MIV induzida com o SF (grupo SF) e (3) MIV com o SF sequencial (grupo SFseq). Os COCs alocados no grupo SFseq foram primeiramente submetidos a 6h de cultivo em meio idêntico ao SF, exceto pela exclusão de AREG, e posteriormente, cultivados por mais 16h em meio SF completo. Após a maturação, os COCs foram avaliados quanto a expansão do cumulus e posteriormente submetidos à fertilização in vitro (FIV) e cultivo in vitro (CIV). No terceiro dia do cultivo, a clivagem embrionária foi analisada e ao final de 7 dias de cultivo, a taxa de produção de blastocistos, seu grau de desenvolvimento e número de células foram avaliados. Os dados foram comparados por ANOVA ou Kruskal-Wallis e as diferenças foram consideradas significativas quando P ≤ 0,05. Os tratamentos SF e o SFseq promoveram maior porcentagem de COCs completamente expandidos ao final da MIV em relação ao grupo FSH, mas não diferiram entre si. O SFseq resultou em taxas de desenvolvimento (total e de blastocistos expandidos e eclodidos) numericamente, mas não significativamente, superiores em relação aos grupos FSH e SF. O tratamento SFseq produziu embriões com maior número de células em relação ao tratamento SF, mas não diferiu estatisticamente do grupo FSH quanto a esse parâmetro. Os dados sugerem que a estratégia sequencial pode melhorar a eficácia do SF, embora isso deve ser confirmado durante a continuidade dos estudos com maior número de réplicas experimentais e o ajuste das concentrações de FSH e AREG nas etapas do tratamento sequencial.
The in vitro production of bovine embryos plays a crucial role in livestock breeding and research, as well as serves as a basis for improving assisted reproduction techniques. This study aimed to develop culture media based on in vivo processes. To enhance an already established oocyte maturation system in our laboratory, the Follicular System (SF), we used the inducers FSH and Amphiregulin (AREG) in a sequential manner to promote a more physiological activation of the maturation cascade. This new system was named Sequential Follicular System (SFseq). Bovine ovaries were collected from slaughterhouses, and their cumulus-oocyte complexes (COCs) were aspirated and subjected to pre-maturation in vitro (pre-MIV) for 9 hours, followed by different MIV protocols: (1) MIV induced only with FSH (FSH group), (2) MIV induced with SF (SF group), and (3) MIV with SFseq (SFseq group). COCs allocated to the SFseq group were first subjected to 6 hours of culture in a medium identical to SF, except for the exclusion of AREG, and then cultured for an additional 16 hours in complete SF medium. After maturation, the COCs were evaluated for cumulus expansion and subsequently subjected to in vitro fertilization (IVF) and in vitro culture (IVC). On the third day of culture, embryonic cleavage was analyzed, and at the end of 7 days of culture, blastocyst production rate, degree of development, and number of cells were evaluated. Data were compared using ANOVA or Kruskal-Wallis, and differences were considered significant when P ≤ 0.05. The SF and SFseq treatments promoted a higher percentage of fully expanded COCs at the end of MIV compared to the FSH group, but they did not differ from each other. The SFseq treatment resulted in numerically higher, but not statistically significant, development rates (total blastocyst production and expanded and hatched blastocysts) compared to the FSH and SF groups. The SFseq treatment produced embryos with a greater number of cells compared to the SF treatment, but there was no statistically significant difference from the FSH group in this parameter. The data suggest that the sequential strategy may improve the effectiveness of SF, although this should be confirmed with a larger number of experimental replicates and adjustment of FSH and AREG concentrations in the sequential treatment stages.

Descrição

Palavras-chave

Maturação in vitro, Cultivo sequencial, Pré-MIV, PIVE

Como citar