Influência de plantas medicinais, citadas por uma comunidade rural, sobre o metabolismo de colesterol, em coelhos com hipercolesterolemia experimental

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Among the research that medicinal plants and their therapeutic properties are the focus, ethnobotany elucidates issues related to the criteria and tools that leads to the choice of studying certain medicinal species. The St. John's wort, carqueja and sarsaparilha were cited by the community of Bairro dos Marins, Piquete city, as being good for the treatment of hyperlipidemia. This study aimed at assessing the possible effects of these plants on plasma cholesterol in rabbits with experimental hypercholesterolemia. The animals were divided into four groups, which received diet and treatment specific to each group: G1 = treatment with St. John’s wort (n = 3), G2 = carqueja treatment (n = 3), G3 = treatment with sarsaparilla (n = 3) and G4 = supplemented group (n = 3). Weekly, after 14h fasting, blood was collected by marginal ear vein and the plasma was used to dose cholesterol. The experimental protocol was divided into three periods: 1st period - feeding rabbits with normal chow (4 groups), to assess their basal cholesterol; 2nd period - all rabbits (4 groups) received supplemented chow with egg yolk and oil to develop the hypercholesterolemia and 3rd period - according to treatment groups. Cholesterol in the first period was 38.75 ± 6.6 mg/dL; in the 2nd period there was a significant increase in plasma cholesterol level (in 4 groups) - always above 300mg/dL. With regard to treatment, the St. John's wort significantly reduced the level of hypercholesterolemia; carqueja and sarsaparilha didn’t promote cholesterol reduction, but prevented disease progression, which was recorded in group 4 (only supplementation, untreated). It is concluded that St. John's wort has bioactive principles that promotes the reduction of plasma cholesterol in animals with induced hypercholesterolemia.

Resumo (português)

Dentre as pesquisas em que as plantas medicinais e suas propriedades terapêuticas são o foco, a etnobotânica pode elucidar questões ligadas aos critérios e ferramentas que levam à escolha de estudar determinadas espécies medicinais. A erva de São João, a carqueja e a salsaparrilha foram citadas pela comunidade Bairro dos Marins, município de Piquete como boas para o tratamento de hiperlipidemias. Este estudo teve por objetivo verificar os possíveis efeitos dessas plantas sobre o colesterol plasmático, em coelhos com hipercolesterolemia experimental. Os animais foram divididos em 4 grupos, os quais receberam dieta e tratamento específicos para cada grupo: G1 = tratamento com erva de são João (n=3); G2 = tratamento com carqueja (n=3); G3 = tratamento com salsaparrilha (n=3) e G4 = grupo suplementado (n=3). Semanalmente, após jejum de 14h coletava-se sangue pela veia marginal da orelha e o plasma era usado para dosar colesterol. O protocolo experimental foi dividido em 3 períodos: 1º período - alimentação dos coelhos com ração normal (nos 4 grupos), para avaliar o colesterol basal dos animais; 2º período – todos os coelhos (4 grupos) recebiam ração suplementada com gema de ovo e óleo, para desenvolver a hipercolesterolemia e 3º período – tratamento de acordo aos grupos. O colesterol no primeiro período foi de 38,75 ± 6,6mg/dL, no 2º período houve elevação significativa no nível de colesterol plasmático (nos 4 grupos) - sempre acima de 300mg/dL. Com relação ao tratamento, a erva de São João reduziu significativamente o nível de hipercolesterolemia; a carqueja e a salsaparrilha não promoveram redução no colesterol, porém impediram a progressão da doença, que foi registrada no grupo 4 (só suplementação, sem tratamento). Conclui-se que a erva de são João possui princípios bioativos que promovem a redução do colesterol plasmático em animais com hipercolesterolemia induzida.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Revista de Pesquisa e Inovação Farmacêutica, v. 5, n. 1, p. 17-22, 2013.

Itens relacionados